Domingo foi o Dia Nacional do Dador de Sangue. Na Trofa, o Lions Clube promove colheitas de sangue há mais de 25 anos.

Anualmente, o Lions Clube da Trofa promove cerca de 20 colheitas de sangue, que envolvem perto de 1700 dadores. Contas feitas, são realizadas, em média, 3400 dádivas, das quais resultam cerca de 1360 litros de sangue, que reforçam as reservas dos hospitais portugueses. Há mais de 25 anos que o Lions Clube da Trofa promove colheitas de sangue. O fundador desta iniciativa foi Serra Cruz, elemento do clube trofense, que aceitou a sugestão do comendador Moreira Alves, durante uma viagem até Lisboa, em 1983.

Hoje, José Carneiro, membro do Lions Clube da Trofa responsável pelo pelouro do sangue, resume o sucesso desta iniciativa: “Faço um balanço muito positivo destes anos, primeiro porque uma colheita de sangue pode salvar mais do que uma vida e segundo, porque temos a felicidade de, em todas as colheitas, aparecerem novos dadores. Estamos a aumentar as dádivas de sangue embora muito lentamente”. Este trofense conhece bem a importância de dar sangue, não fosse ter sido, durante nove anos, o “assessor do sangue para o Distrito 115 Centro e Norte do Lions”. “Levei as colheitas de sangue a Paços de Ferreira, Vila Real, Macedo de Cavaleiros, Arouca, Águeda, Albergaria-a-Velha, Vila Nova de Cerveira, Senhora da Hora, Vila Nova de Famalicão, Póvoa de Varzim e Penafiel, onde andámos dois anos a participar em acções de sensibilização e colheitas”, recordou a propósito do Dia Nacional do Dador de Sangue, assinalado a 27 de Março. Comemorar esta data é importante, pois para além de “ser um incentivo para aumentar o número de dadores”, reconhece-se que “a dávida de sangue é um gesto nobre, altruísta e da maior importância para vida das pessoas”.

A “idade” já não permite que José Carneiro dê sangue, mas o membro do Lions Clube da Trofa garante que quando se tornou dador sentiu-se “muito melhor”, pois as colheitas permitem a “renovação do sangue e as veias não entopem com tanta facilidade”. Qualquer pessoa saudável com mais de 18 anos e menos de 65 pode inscrever-se como dador de sangue. Para isso basta aparecer numa das colheitas promovidas pelo Lions Clube da Trofa, onde vai ser visto por um médico, que efectuará um rastreio e aprovará ou não a dádiva. “O dador de sangue tem vantagens, quanto mais não seja, porque fica a saber o seu tipo de sangue e pode detectar precocemente uma doença”, explicou José Carneiro.

Além de incentivar a dádiva de sangue, o Lions Clube da Trofa foi “pioneiro” nas campanhas de dadores de medula: “Em 2003, o clube terá sido o primeiro, em Portugal, a incentivar e iniciar as campanhas de captação de potenciais dadores de medula óssea”, garantiu José Carneiro. A importância deste gesto é evidenciada na história contada pelo membro do Lions: “Próximo da data da segunda campanha de angariação de dadores de medula, estava reunido com a responsável do Centro de Histocompatibilidade do Norte, Helena Alves, quando esta recebeu um telefonema dos Estados Unidos, pois tinha sido identificado um dador português compatível” com um doente que estava do outro lado do Oceano Atlântico. “São situações que mexem connosco, pois temos a sensação de que salvamos uma vida”, confessou.

José Carneiro aproveitou para “agradecer aos dadores pela presença activa nos dias das colheitas e a forma disciplinada como se apresentam”, ao mesmo tempo que quis “incentivar todos os jovens a partir dos 18 anos para que se inscrevam como dadores de sangue”.

Quase cem dádivas em S. Romão

Mais de cem pessoas estiveram na ASCOR (Associação de Solidariedade Social do Coronado) para participar na colheita de sangue promovida pelo Lions Clube da Trofa, no dia 26 de Março, José Carneiro fez um balanço “muito bom”, pois foram concretizadas 97 dádivas.

Este sábado, a empresa Eurico Ferreira vai promover uma colheita de sangue nas suas instalações com o apoio do Lions Clube da Trofa.

Estas iniciativas vão continuar nos dias 8 e 9 de Abril, no concelho de Vila Nova de Famalicão. Na sexta-feira, entre as 16 e as 19.30 horas, a colheita vai decorrer no Salão Paroquial de Fradelos. Já no sábado, a colheita vai ter lugar no auditório da casa da terceira idade da Associação Mundos de Vida, em Lousado, entre as 9 e as 12.30 horas.