Exposição sobre “Letras e Imagens de Abril” foi inaugurada a 5 de abril. Esta mostra está integrada no programa de comemorações dos 40 anos da revolução.

A “Grândola Vila Morena” soou na Casa da Cultura da Trofa, não para contestar alguma política do Governo, mas para assinalar os 40 anos da revolução portuguesa, através da exposição “Letras e Imagens de Abril”, que foi inaugurada na tarde de sábado.

Pela voz do trio Os Acesos, a música de Zeca Afonso ajudou o público presente a entrar na aura revolucionária da época, enquanto descortinou, através de dez níveis, os momentos que marcaram a queda da ditadura e a vitória da liberdade.

O “lápis azul” que amordaçou a comunicação social, os livros censurados, as estratégias militares, o tratamento da informação na Trofa e os objetos que contribuíram para que a população acompanhasse o desenrolar dos acontecimentos não foram esquecidos nesta mostra que está patente até 3 de maio.

Durante o mês, a autarquia da Trofa vai levar a cabo várias iniciativas relativas aos 40 anos do 25 de Abril. Renato Pinto Ribeiro, vereador da Cultura, enfatizou as ações “direcionadas para as crianças, como a Hora do Conto e do Saber, que terá tema ligado ao 25 de Abril” e a “atividade intergeracional no Centro Comunitário Municipal”, a 16 de abril, às 14.30 horas.

A Casa da Cultura vai receber grande parte das atividades, como a oficina de criação de cartazes (10 horas) e a mostra bibliográfica de José Afonso, a 15 de abril, a sessão de leitura “A fábula dos feijões cinzentos: 25 de Abril, com quem conta um conto”, de José Vaz, às 10 horas de 16 abril, e os “Textos de Abril”, nos dias 23 e 29.

Mas há outras ações descentralizadas como a palestra de António Lopes na Escola Secundária da Trofa, a 23 de abril, às 10.15 horas, sobre os progressos sociais após a revolução, e uma exposição itinerante inaugurada a 24 de abril na Junta de Freguesia de Covelas.

Integrada nesta comemoração, está também marcada uma caminhada com visitas guiadas ao Castro de Alvarelhos, Castro do Boi e Cividade de Bagunte, no âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, a 27 de abril.