“Proceder à reabilitação de quatro instituições comunitárias que apoiam crianças em situação de fragilidade social e cidadãos portadores de deficiência” foi o principal objetivo do Leo Reabilita, uma iniciativa dos Leos de Portugal, que foi levada a cabo em diversas cidades, entre as quais a Trofa.
De acordo com o clube leonístico local, a intervenção teve lugar nas instalações da ASAS, a 3 de julho, integrando-o num plano nacional – também em ação em Vila Nova de Gaia, Figueira da Foz e Ílhavo – que visava “melhorar os espaços onde vivem mais de 120 crianças e jovens”.
“A par com a reabilitação dos espaços, através da pintura, limpeza e reparações, também se procede ao apoio logístico, com vista ao reforço de equipamentos e material didático, lúdico e pedagógico, assim como bens de primeira necessidade”, explicou o clube.
Depois de garantidas as condições de higiene e segurança, com a realização de “testes rápidos à Covid-19”, os voluntários “foram divididos em diferentes equipas para a execução de trabalhos como limpeza, jardinagem e pintura dando origem a um espaço exterior totalmente renovado e aprimorado que encherá os corações dos colaboradores, visitantes e crianças e idosos apoiados pela associação”.
“O Leo Reabilita foi, sem dúvida, um projeto que encerrou com sucesso um ano leonístico desafiante”, acrescentou o Leo Clube da Trofa, que por mais um ano contará com Ana Rita Campos, como presidente, Tânia Pontes, como vice-presidente, Margarida Neves, como secretária, e Alexandre Rodrigues, como tesoureiro. O objetivo continuará a ser “servir a comunidade trofense e apostar em atividade que trarão sorrisos, alegria e o sentimento de missão cumprida”.