Foi com uma eucaristia e um almoço/convívio que o Lar Padre Joaquim Ribeiro comemorou o seu segundo aniversário ao serviço da comunidade trofense. Luciano Lagoa, presidente da instituição, faz um balanço muito positivo dos dois anos de actividade.

“Conseguimos levar o barco para já a bom porto e estamos convencidos disso, há dois anos atrás tinha dito que isto era um bebé que estava a nascer, agora digo que já é um bebé com dois anos”, afirmou Luciano Lagoa, presidente do Lar Padre Joaquim Ribeiro e pároco da freguesia de S. Martinho de Bougado. Fazendo um balanço “extremamente positivo” da actividade do lar ao longo dos últimos dois anos, Luciano Lagoa lembrou que a instituição continua a precisar do forte apoio da população e das várias entidades. “Continua a ser alguém a quem ainda é preciso prestar muitos cuidados, mas acreditamos que gradualmente ele começará a andar por cima e começará no fundo a ganhar uma nova dinâmica e é isso que nós queremos”, sublinhou o pároco.

De acordo com o presidente da instituição, “apesar das dificuldades, dos problemas e das necessidades”, o balanço é “realmente muito positivo”. E para isso, diz Luciano Lagoa, contribuiu o apoio intenso e a dedicação dos colaboradores e voluntários, que diariamente contribuem para garantir o sorriso dos mais velhos no Lar Padre Joaquim Ribeiro. “Temos um grupo de voluntários naturalmente muito interessante, são pessoas que vêm e passam aqui uma tarde com os utentes e que dão um aspecto familiar muito importante ao nosso lar”, ressalvou. Não só o trabalho dos voluntários é reconhecido por parte de Luciano Lagoa, mas também os profissionais que têm o Lar Padre Joaquim Ribeiro como seu local de trabalho merecem as palavras de gratidão do presidente da instituição. “São bons profissionais, mas ao nível da sua entrega pessoal dão muito de si aos idosos, não só profissionalmente, mas também afectivamente e nesse aspecto tivemos bastante sorte”, considerou.

 Não deixando de salientar todo o trabalho já concretizado pela instituição, Luciano Lagoa fez ainda particular referência ao novo projecto da creche, que já se encontra em andamento. “Estamos a contar que em Outubro a estrutura já esteja completa para então, a partir dessa data, começarmos a abrir a creche para atender as necessidades da nossa cidade”, adiantou.

A nova valência da creche está a ser construída na parte inferior do edifício do Lar Padre Joaquim Ribeiro e terá capacidade para cerca de 50 crianças. “As várias instâncias no concelho foram sentindo que era necessária a creche e como tínhamos um espaço sub-aproveitado, uma vez que não estávamos a utilizar a parte debaixo desta estrutura, pensamos nisso, lançámos mãos à obra e concorremos ao Programa PARES e fomos contemplados”, recordou Luciano Lagoa.

Fazendo também um balanço positivo dos dois anos de actividade do Lar Padre Joaquim Ribeiro, Bernardino Vasconcelos, presidente da autarquia, lembrou a importância do trabalho e acompanhamento desenvolvido pelos colaboradores e voluntários. “É um conjunto de pessoas, funcionários e voluntários que dão um apoio e um carinho notório a um conjunto de pessoas mais velhas que aqui estão, instaladas ou que aqui passam parte do seu dia”, afirmou ao NT/TrofaTv. “Aqui as pessoas mais velhas têm a oportunidade de passar o seu tempo ou de viverem com mais conforto e mais apoio, são tiradas da solidão e de certa maneira vão aumentando aqui a sua auto-estima”, sublinhou.

 O projecto da creche também foi realçado pelo edil trofense. “Temos que dar os parabéns à direcção por esta iniciativa, por este investimento, no fundo criando um espaço de grande carência no nosso concelho, dando resposta a muitos pais que não têm outra oportunidade se não deixarem os filhos ao cuidado de outras pessoas ou ao cuidado de pessoas com capacidade para isso, no sentido de poderem fazer o seu dia-a-dia de trabalho”, rematou.