junta-covelas

Foi lançada a primeira pedra para a construção do novo edificio da Junta de Freguesia de Covelas. O anexo utilizado que serviu de sede improvisada vai agora ser substituída por um edifício de raíz, que enche de orgulho o presidente Fernando Moreira.

Depois de um quarto de século à frente dos destinos de Covelas, Fernando Moreira conseguiu concretizar o sonho da sua sua vida: lançar a primeira pedra da nova sede da Junta. Uma obra “de grande valor” para o presidente e para toda a população, que se associou à cerimónia e ouviu Fernando Moreira admitir que esta “é a obra que mais alegra” a sua vida.

Uma obra que custará cerca de 400 mil euros e estará pronta “dentro de meio ano”, afirmou o autarca covelense, que acredita que a empreitada estará concluída antes dos 350 dias previstos para a sua execução. “Penso que estará pronta o mais rápido possível”, sublinhou.

O local escolhido para a instalação da Junta obedece ao critério da centralidade e a data escolhida para o lançamento da primeira pedra tem apenas a ver com a altura em que foi possível avançar com o projecto, salvaguarda Fernando Moreira. “Eu não escolhi a data. Na altura em que avancei com o projecto pensava lançá-la em Janeiro, mas houve uma alteração ao documento e só agora veio correctamente e mal tive oportunidade de o lançar, lancei”, explicou.

O presidente da Junta não deixou de parte “quem sempre diz que não fazia nada” e deu o exemplo da conclusão da pavimentação da Rua da Gabriela em curso e da aproximação do lançamento do novo cemitério. “Diziam que eu nunca fazia nada, mas eu tenho sempre que fazer alguma coisa. Gosto muito de trabalhar para Covelas e gosto de fazer coisas que valham a pena para a freguesia”, referiu.

Bernardino Vasconcelos, presidente da Câmara Municipal da Trofa, não esteve alheio à cerimónia covelense e afirmou que esta obra “é uma ambição muito grande dos covelenses que o senhor Fernando Moreira corporiza neste momento”.

“Para Covelas essencialmente, era um sonho antigo também, o edifício de sede de junta, a casa da freguesia, símbolo de um pequeno território autónomo, todos estamos contentes”, referiu.

O edil não deixou de sublinhar o bom entendimento com o autarca covelense nas obras desenvolvidas na freguesia: “Trabalhar com ele dez anos foi extraordinário, penso que fizemos obra, só quem não quer ver é que não reconhece isso. Culminamos um conjunto de obras que fizemos ao longo destes anos com esta primeira pedra e com a primeira pedra para a escola de Querelêdo”, afirmou.