A Junta de Freguesia de Guidões “poupou” 25 mil euros em 2011 para utilizar a verba na 2ª fase da capela mortuária.

A Assembleia de Freguesia de Guidões começou com dois louvores. O primeiro partiu do presidente da Assembleia, Renato Costa, a Manuel Araújo, que substituiu o presidente da Junta, Bernardino Maia, no executivo, durante meio ano. O outro foi endereçado à população e surgiu a propósito do movimento contra a extinção da freguesia. Atanagildo Lobo, elemento eleito pela CDU, saudou os guidoenses que “desde a primeira hora, demostraram, sem hesitações, estar contra a fusão de freguesias (…), respondendo positivamenteao abaixo-assinado nesse propósito”.

Recordando a participação de Guidões na manifestação em Lisboa das freguesias contra a proposta atual da reforma administrativa, Atanagildo Lobo agradeceu também à Comissão de Luta, que conseguiu o resultado pretendido, também com a recolha das assinaturas. O elemento da CDU não esqueceu de agradecer à Junta e à Assembleia de Freguesia por “terem compreendido a necessidade da preservação da freguesia”, mas desafiou estes órgãos autárquicos a terem “mais dinamismo, mais vontade política, mais interesse nesta batalha”, pois, sublinhou, “ou Guidões se mantém como freguesia ou ficaremos muito, mas muito pior”.

A sessão prosseguiu para o período da ordem do dia ainda sob a intervenção de Atanagildo Lobo, que questionou, entre outros assuntos, o executivo sobre o valor alocado pela Junta no pavimento exterior do salão paroquial inaugurado, recentemente, e as mais-valias do Centro Digital de Informação Local (CDIL).

Leia mais na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa.

{fcomment}