O Orçamento Participativo Jovem e o Conselho Municipal da Juventude foram apresentados esta segunda-feira no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado.

“Participatory Budgeting”, “Bilancio Partecipativo”, “Orzamentos Participativos” … Estas são três formas de escrever, em diferentes línguas, o nome do mesmo projecto: Orçamento Participativo. Aplicado em vários países por todo o mundo, este projecto foi também definido pela autarquia da Trofa como um projecto a desenvolver e foi apresentado no Dia Nacional da Juventude.

“Optamos, no primeiro ano, por fazer o Orçamento Participativo dirigido aos jovens do nosso concelho que frequentem as escolas básicas do 2º e 3º ciclos e Ensino Secundário e todo o movimento associativo. Este processo está também aberto àqueles que, mesmo não pertencendo às escolas ou associações, tenham idades entre os 12 e os 30 anos”, explicou a vereadora do pelouro da Educação da Câmara Municipal da Trofa, Teresa Fernandes.

Neste projecto, os jovens trofenses serão os protagonistas ao apresentar propostas e ideias que queiram ver concretizadas pelo executivo camarário, nas suas freguesias. No ano de arranque, a autarquia disponibilizou 20 mil euros para o Orçamento Participativo Jovem (que será aplicado em 2012), sendo que 7500 euros serão utilizados para desenvolver os projectos apresentados pelos alunos das escolas do concelho.

Para os próximos anos a intenção é “alargar o Orçamento Participativo não só aos jovens, mas a todos os cidadãos do concelho da Trofa”.

“No início, os projectos precisam de tempo para arrancar”, garante Giovanni Allegretti, técnico de renome internacional na área dos Orçamentos Participativos. No entanto, o especialista viu “muita energia” nos “mais de 300 alunos em cinco escolas diferentes da Trofa”. “Não se pode pensar no início que tudo será brilhante, porque isso só vai acontecer quando se começar a entrar na disputa pela vitória das propostas”, aconselhou.

Para além de ser pronunciado em diferentes línguas, o Orçamento Participativo também é executado de diferentes formas nas cidades de diferentes países, porém existem aspectos que são replicados. Dos elementos em comum, Giovanni Allegretti destacou o facto “de ser um orçamento participativo decisório”, de ter “um período de três meses de discussão” e de haver “uma votação pela Internet e pela assembleia concelhia no final de Junho”. “A grande novidade é que este projecto não é só dedicado às escolas, tendo um espaço para quem está na escola, mas para quem está na universidade, quem trabalha ou está desempregado. Outra coisa nova é um concurso memória que consiste na possibilidade de os jovens produzirem filmes ou outros elementos que deixem um rasto deste primeiro ano de discussão e que serão premiados num concurso no final do ano”, explicou.

As propostas dos jovens trofenses poderão ser apresentadas até 15 de Maio, sendo que em Junho os projectos voltarão a ser discutidos. Existem mais informações sobre o Orçamento Participativo no site http://opjdatrofa.yolasite.com/, ou na página do Facebook.

Conselho Municipal da Juventude tomou posse

Grupos de escuteiros, associações e partidos políticos foram os escolhidos para fazer parte do Conselho Municipal da Juventude. Este órgão, que tomou posse no Dia Nacional da Juventude, terá apenas funções consultivas, permitindo que o executivo municipal saiba as verdadeiras pretensões dos jovens trofenses quanto às políticas da juventude.

“Este é um passo importante para o concelho, pois vamos ter os jovens e as associações a participarem, a darem propostas e a colaborarem com a Câmara Municipal da Trofa na definição das políticas de juventude”, frisou Teresa Fernandes.

 “Existe estratégia e rumo para o concelho”

“A Juventude Socialista da Trofa mostra-se satisfeita pelos avanços e pelas novas iniciativas que se têm desenvolvido no âmbito das políticas de juventude no concelho da Trofa”, adiantou o secretariado concelhio da Juventude Socialista (JS) da Trofa, em comunicado, demonstrando a sua posição face à tomada de posse do Conselho Municipal da Juventude e ao arranque do projecto do Orçamento Participativo Jovem.

Para a JS esta tomada de posse do Conselho Municipal da Juventude é “um projecto importante na constituição de uma estratégia sustentada para o futuro dos jovens trofenses” já que “permitirá uma melhor auscultação”, dando “uma voz formal a associações representativas da juventude da Trofa”.

Quanto ao Orçamento Participativo consideram que acentuará “uma política de total proximidade entre o poder executivo e a voz popular”. O projecto dará ainda “a oportunidade, aos jovens do concelho, de decidirem onde e como gostariam de ver aplicadas verbas do orçamento municipal”, acrescentaram no mesmo documento.