jose-monteiroUma semana depois de O Notícias da Trofa ter avançado em primeira mão a disponibilidade de José Monteiro para treinar uma equipa da Trofa, a direcção do Futebol Clube de S. Romão decidiu convidar o treinador, para ser o próximo comandante das equipas sénior e júnior até ao fim da temporada.

 José Monteiro regressou ao Futebol Clube de S. Romão para devolver ao emblema a “mentalidade ganhadora” que lhe deu a melhor classificação de sempre na época 2005/2006.

Monteiro aceitou o convite da direcção do clube e começou a trabalhar na passada quinta-feira, com a equipa sénior, mas também está encarregado de treinar a equipa júnior até ao final da temporada.

O técnico é já o terceiro treinador do S. Romão esta temporada. Depois de José Carvalho e Eduardo Fernandes terem saído, é a vez de José Monteiro tentar dar ânimo à equipa, que milita na 2ª Divisão, Série 1, da Associação de Futebol do Porto. Em entrevista exclusiva ao NT, o treinador afirma que quer “reconquistar os adeptos” e assume “total confiança” no presidente Adélio Maia, aquele que, aliás, considera ser “a alma do S. Romão”.

Questionado sobre se considerou as acusações de Eduardo Fernandes ao presidente da direcção viáveis, o treinador afirmou que as polémicas passam-lhe “ao lado” e assegurou que vai para S. Romão “para trabalhar”. “Um treinador tem que saber fazer e saber estar e o que eu quero é fazer com o que o S. Romão termine o campeonato com um lugar honroso”, afirmou.

As dificuldades que encontrou no clube servem de “tónico” e os “grandes desafios”, como aquele que o espera na equipa romanense, motivam-no.

No primeiro dia de trabalho encontrou um “grupo empenhado, pequeno, mas disponível”, condições que o fazem acreditar que só o trabalho “pode fazer toda a diferença”.

Para já a única modificação que vai fazer à equipa é “baixar o triângulo”, preferindo ter dois trincos e um número dez, ao contrário do modelo até agora adoptado. “Só assim conseguirei melhor consistência defensiva”, frisou.

Representar o S. Romão é um “orgulho” para José Monteiro, mas o técnico considera que a sua carreira não passa apenas por este clube, pois é “irreversível” o caminho que o espera “rumo ao sucesso”.

O desejo de ser campeão “todos os dias” fazem com que Monteiro almeje voos mais altos, nomeadamente, “um contrato profissional”. “Treinar de manhã num relvado” e chegar “à primeira liga” são objectivos que o técnico quer alcançar no futuro.

Ainda com uma carreira curta como treinador, Monteiro assume-se como “adepto da periodização táctica”, normalmente referenciada por José Mourinho e Carlos Carvalhal. Com o nível II de treinador, José Monteiro já teve como “mestres” José Alberto Costa, actual adjunto de Carlos Queirós na selecção nacional, e Jorge Regadas. Também Tulipa e Lito Vidigal, ambos no Ribeirão, contribuíram para que Monteiro se afeiçoasse ao modelo 4-4-2.

Os bons resultados obtidos ao comando do Paço de Sousa, Atlético de Vilar e S. Romão são reflexo de “muito trabalho” do técnico que não desperdiça “nenhum desafio”.

 

Bougadense e Trofense vão conseguir manutenção”

Defensor de que a Trofa deveria ter mais equipas inscritas na Associação de Futebol do Porto, José Monteiro considera que a participação do Paradela na 2ª Divisão “é uma mais-valia para o concelho”. Numa análise às performances das equipas trofenses nos respectivos campeonatos, Monteiro acredita que o Bougadense “vai manter-se” na Divisão de Honra. “Dou os parabéns ao Agostinho Lima, pelo trabalho que está a fazer, e à direcção por dar um voto de confiança ao treinador”, afirmou.

A convicção da manutenção mantém-se também para o Trofense: “Com a chegada de Tulipa, um dos melhores treinadores da actualidade, a equipa começou a mostrar melhorias significativas, principalmente no capítulo defensivo”.

Já no que respeita ao campeonato que milita, José Monteiro afirma que este campeonato da 2ª Divisão da AFP “está a ser o melhor dos últimos seis anos”.