Joana Oliveira, residente do Muro, venceu a semifinal do concurso Grande Prémio do Fado da RTP1, estando apurada para a grande final. 

Grande Prémio do Fado é um concurso musical desenvolvido, nos últimos meses, pelo programa Portugal no Coração, da RTP1, com o intuito de “encontrar novos talentos e descobrir novas vozes, sendo que o prémio é a gravação de um CD de fado”.

Joana Oliveira, residente na freguesia do Muro, conseguiu inscrever-se neste concurso, tendo conseguido vencer a semifinal, que lhe deu passe para a grande final, que vai decorrer no dia 6 de outubro, no Casino Estoril. O gosto pela música está presente na vida de Joana Oliveira, de 15 anos, desde muito cedo. Uma paixão que foi desenvolvendo com o seu pai, que também canta e sempre opinou sobre a sua prestação, ajudando-a a melhorar. “O meu gosto pelo fado surgiu através do meu pai, mas também o meu avô paterno cantava bem. Penso que seja hereditário. Comecei por ouvir e cantar outros géneros musicais, mas sempre gostei mais do fado. É onde me sinto mais segura a cantar com sentimento”, asseverou.

Quando frequentava o 8º ano, na EB 2/3 de Alvarelhos, participou no festival de música, onde arrecadou o primeiro lugar, tendo também participado nas duas primeiras edições do Festival da Canção da Trofa, inserido nas Festas em honra de Nossa Senhora das Dores. A partir desse dia começou a “fazer espetáculos”. “A minha família apoia-me desde o princípio. Eles sempre me incentivam a continuar e a nunca desistir, mesmo que às vezes seja difícil”, contou, frisando que os pais acreditam que “consiga vencer no canto”, ajudando-a que o “sonho e a paixão pela música continue”. 

Já há “algum tempo” que ambicionava participar no concurso televisivo, mas sempre foi “difícil”, pois há sempre “muitas pessoas a concorrer”. Agora que conseguiu esta oportunidade, agarrou- a como se fosse a “única”, pois é “bastante importante” para si viver este sonho. Como cada eliminatória “podia ser a última”, arriscou “sempre com grandes temas”, dando sempre o seu melhor. Além disso, pediu “conselhos a pessoas que estão ligadas ao fado”, desde músicos a cantores, ensaiava várias vezes e, ainda, percorria, aos fins de semana, as casas de fado, onde foi “ajudada e onde tirava conclusões sobre os temas”. Foi desta forma que conseguiu vencer a semifinal, garantindo assim o seu lugar na final. “Acreditava que podia chegar  final, mas sabia que havia sempre grandes potenciais a concorrer comigo. E ter conseguido passar as três fases deste concurso até à final já é o meu grande prémio, apesar de ter sempre em mente conseguir ser a vencedora.”, afirmou.

Apesar de ainda faltar “alguns meses para a grande final”, a Joana já se encontra a preparar com “um bom fado”, para que no dia 6 de outubro, corra “como o esperado”. Joana frequenta, neste momento, o curso de Auxiliar de Saúde, na Escola Secundária do Castêlo da Maia, tendo concluído o 10º ano, com a ambição de terminar o ensino secundário, “entrar no INEM e continuar com a carreira artística”. 

Mesmo sabendo que o “mundo da música” é “difícil”, Joana quer “acreditar que é possível”, persistindo para vencer o seu sonho. Durante o verão, vai continuar a fazer espetáculos, estando “quase sempre com a agenda completa”. “Este ano está a correr ainda melhor do que o ano passado. A participação na RTP foi uma mais valia, pois ajudou a divulgar o meu nome”, denotou. Neste momento, Joana encontra- se a gravar o seu primeiro Cd, na editora Conquista, no Porto, com “fados e música originais”, escritos pelo poeta Carlos Bessa.

{fcomment}