O projeto de resolução do Partido Comunista Português, que recomenda ao Governo a integração da Linha da Trofa na 2ª fase do projeto do Metro do Porto, foi publicado em Diário da República, esta terça-feira.

O documento foi aprovado na Assembleia da República, a 20 de abril, aquando da discussão sobre a petição que reuniu mais de oito mil assinaturas, perante a presença de mais de 150 trofenses que viajaram à capital, com a esperança de ver este processo desbloqueado. O projeto de resolução do PCP foi o único que passou, com votos favoráveis dos comunistas, do Bloco de Esquerda (BE), do PS e d’Os Verdes. Os partidos do Governo, PSD e CDS, abstiveram-se, possibilitando a aprovação do documento. Os deputados do PCP escrevem que com a integração da extensão da Linha Verde, que ligará o ISMAI à Trofa, “cumprese o disposto no n.º 4 do memorando de Entendimento”, que o Governo de José Sócrates (PS) assinou em 27 de maio de 2007 com a Junta Metropolitana do Porto (JMP).

O BE e o PS também tiveram projetos de resolução sobre do Metro até à Trofa a votação, mas foram inviabilizados pelos partidos do Governo. Os partidos do Governo também apresentaram um projeto de resolução na manhã em que se discutiu a petição, mas não foi a tempo de ir a votação. O documento recomenda que se retome a análise ao projeto do metro até à Trofa, à reavaliação do rácio custo-benefício e a possibilidade do cofinanciamento comunitário do projeto. No entanto, como disse Michael Seufert, deputado do CDS, a construção da linha está dependente da retoma do crescimento da economia, o que poderá arrastar o projeto para depois de 2015, considerada pelo deputado “uma boa data indicativa”.

 {fcomment}