Jantar de angariação juntou cerca de mil pessoas

Depois do sucesso do jantar do ano passado, com a adesão de 600 participantes, a direcção da ASAS aumentou as expectativas, que não saíram defraudadas. Cerca de mil pessoas da Trofa e Santo Tirso marcaram presença no jantar que tinha como objectivo angariar fundos para as crianças desfavorecidas de Santo Tirso e Trofa, para a construção de dois centros.

   "Dar Asas à Vida" continua a ser o mote de todas as iniciativas da ASAS – Associação de Solidariedade Acção Social de Santo Tirso. A instituição decidiu dar continuidade à campanha iniciada em 2007 e promoveu o jantar anual com o mesmo nome que decorreu nas instalações da empresa CORTEL, em Fontiscos, Santo Tirso, na passada sexta-feira.

Depois do sucesso do jantar do ano passado, com a adesão de 600 participantes, a direcção aumentou as expectativas, que não saíram defraudadas. Cerca de mil pessoas da Trofa e Santo Tirso marcaram presença no jantar que tinha como objectivo angariar fundos para as crianças desfavorecidas de Santo Tirso e Trofa, para a construção de dois centros. Projectos, que José Pinto, presidente da direcção da ASAS, pretende ver implementados brevemente. "A finalidade deste jantar é a angariação de fundos para dois centros que nós queremos construir. Um está em construção em Vila das Aves e o outro tem uma maquete já pronta, cuja construção está prevista para Sequeirô. A presença de todas estas pessoas é uma realização pessoal, pois para mim isto é uma mostra de que temos boa gente dos concelhos de Trofa e Santo Tirso a trabalhar para uma boa causa, a favor das crianças mais desprotegidas", referiu o responsável, que sublinhou a importância de sensibilizar a população para a problemática da criança em perigo, aumentando, ao mesmo tempo, o grau de conhecimento sobre a ASAS.

Com esta iniciativa, a instituição espera alcançar uma maior envolvência da comunidade na actividade que desenvolve. "Estas pessoas estão envolvidas pelo mesmo espírito de servir, de serem solidárias. Só não tivemos mais pessoas presentes por causa do mau tempo, mas ainda assim houve quem não pudesse vir, mas deu o seu donativo".

António Pontes, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, esteve presente para representar a autarquia trofense, uma das principais parceiras da ASAS.

Em jeito de análise, Pontes afirmou ao NT que o trabalho da ASAS "tem sido magnífico. A Asas é uma instituição que está presente nos concelhos da Trofa e Santo Tirso e tem feito um trabalho do ponto de vista de intervenção social no concelho que é de uma valia insubstituível. A ASAS tem trabalhado com as crianças, mas há que reparar no trabalho transversal que é feito no apoio também à família, pois em muitos casos, as intervenções que tem que ser feitas do ponto de vista do trabalho social com as crianças, se não tiverem um complemento de acompanhamento com os pais, muitas vezes não tem resultado. No caso da Trofa há famílias com muitos problemas com o álcool e que foram recuperadas e as crianças foram devidamente enquadradas pelo trabalho de acompanhamento e de apoio que a ASAS fez", afirmou.

No que concerne ao apoio que o município tem prestado à ASAS, o vice-presidente referiu que tem havido uma parceria a nível de projectos de ampliação e reestruturação das instalações da ASAS na Trofa. "Nestas obras, para além de serem apoiadas por candidaturas que têm sido feitas por apoios nacionais, a partir de fundos comunitários e fundos estatais, mas há sempre uma componente que corresponde ao auto-financiamento e essa habitualmente compete à ASAS fazê-lo. Contudo, tem sido a Câmara Municipal da Trofa a assumir essa componente, no sentido de não sobrecarregar a instituição", atestou.

Existem ainda outros projectos de parceria que as duas entidades estão a desenvolver no concelho, na área da toxicodependência, de apoio à criança e à família. "Há vários projectos, a Câmara é parceira da ASAS em alguns desses projectos e naturalmente custeamos parte desse trabalho e felizmente com resultados óptimos", concluiu.