Maio é mês do coração, por isso, é mais um motivo para estar atento aos sinais e sintomas do enfarte. Esta é a mensagem que o INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica) quer transmitir aos portugueses, alertando para os sintomas de um Enfarte Agudo do Miocárdio (EAM).

Ligar para o 112 pode ser crucial para a vida? Sim, este gesto é, realmente, a única atitude correta quando surgem determinados sintomas. O INEM aconselha a ligar para o número de emergência quando sentirmos uma dor no meio do peito, que algumas vezes irradia para o braço, pescoço e costas. Estes sinais podem ser acompanhados de falta de ar, ansiedade, vómitos, náuseas e suores. É verdadeiramente importante ligar para o 112 se aparecerem alguns destes sintomas.

Nestes casos, a inércia é a pior inimiga, por isso o INEM faz saber que “o enfarte é uma emergência médica, os centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM têm possibilidade, ao fazer-lhe perguntas simples, de identificar os sintomas, garantindo o envio dos meios de emergência adequados à situação, os meios de emergência pré-hospitalar do INEM dispõem de equipamento que regista e monitoriza a atividade do coração e que permite diagnosticar o enfarte ainda antes da chegada ao hospital”.

Em caso de diagnosticado o EAM, o INEM pode encaminhar o doente para o hospital mais indicado para o seu tratamento, cujo mais eficaz e com maior taxa de sucesso é a angioplastia primária, que tem como objetivo reabrir as artérias obstruídas e restaurar a circulação sanguínea no coração, sendo que este procedimento deve ser efetuado o mais rapidamente possível.

Contudo, no final de 2011, após a realização de um estudo feito pela Sociedade Portuguesa de Cardiologia, que gere um programa europeu com objetivo de reduzir a mortalidade por EAM, verificou-se que apenas 29 por cento dos doentes ligaram para o 112.

Também é importante serem divulgadas medidas simples que ao serem incrementadas no nosso dia a dia podem prevenir um EAM, como por exemplo: andar a pé 30 minutos por dia, ter uma alimentação saudável (legumes, frutas, cereais completos, azeite e gorduras vegetais, peixe, carnes magras e com redução do sal), não fumar e ser vigilante (controlar regularmente o peso, o perímetro abdominal, a tensão arterial, fazer análises de colesterol e de glicemia).

Tânia Sousa

{fcomment}