Bombeiros da Trofa e do distrito do Porto estão esgotados e quase sem forças para continuar a trabalhar 24 horas por dia, sete dias por semana. Mais de 20 incêndios assolaram nos últimos dias as freguesias do concelho da Trofa obrigando estes homens e mulheres, quase todos voluntários a esforço redobrado.

As zonas de Mendões em S. Mamede, Seixinho em S. Romão do Coronado, Vilares no Muro, Alvarelhos, Cidai, têm sido fustigadas com grande número de ignições. Assim que os Bombeiros Voluntários da Trofa têm uns minutos de descanso, a sirene volta a soar alertando para mais um novo foco de incêndio.

A hora do almoço e a madrugada são os horários preferidos para a propagação das chamas que chegaram a atingir proporções elevadas. “A Trofa tem sido bombardeada com incêndios florestais tanto nocturnos como diurnos. Registam-se muito perto da hora de almoço ou então pela noite dentro e é difícil compreender”, explicou Filipe Coutinho, segundo Comandante dos Bombeiros Voluntários da Trofa.

incendios

As suspeitas de que a maioria das ignições se devem a mão criminosa são várias, mas nunca são apanhados os suspeitos. “Um incêndio que começa às quatro da manhã, com humidade e temperaturas baixas, não cremos que sejam condições naturais que provoquem estes incêndios. Não temos suspeitos, porque isso faz parte da investigação policial”, adiantou.

O que é facto é que os bombeiros, quase todos voluntários, têm trabalhado 24 sob 24 horas e já se mostram cansados. “Temos trabalhado 24 horas por dia, temos homens a trabalhar sete dias por semana, dia e noite. A grande parte deles são voluntários. Temos esgotado os meios humanos, porque mesmo com rendições de oito em oito horas, os homens são rendidos por homens que já estão cansados, estamos a esgotar também os veículos”, explicou.

Mas mesmo cansados, Filipe Coutinho, garantiu: “temos tentado responder prontamente às chamadas, o que de facto acontece é que temos tido várias ocorrências ao mesmo tempo e não nos é possível ocorrer a todas ao mesmo tempo, mas vamos tentar por todos os meios proteger a terra da Trofa”.

Esta terça-feira, ao início da noite, no Lugar de Vilares, na freguesia do Muro estavam no terreno a combater as chamas 19 homens, apoiados por quatro viaturas.