Um almoço dedicado aos seniores das oito freguesias do concelho. Um almoço que serviu de ponto de encontro dos que se separaram nos caminhos da vida e que voltaram a rever-se para partilhar experiências vividas.

Lurdes Pires Garcia é utente do Centro Comunitário da Trofa e, mais uma vez, não perdeu a oportunidade de “conviver”. Vem a “todos os jantares” (ou almoços) organizados e considera que a Trofa é uma das terras que conhece que “mais iniciativas organiza para as pessoas”. Lurdes foi uma das centenas de pessoas que participaram no Almoço do Idoso, evento promovido pela autarquia e que por uma tarde deu, de novo, vida a uma das salas da antiga Mako Jeans, em Lantemil, Santiago de Bougado.

No almoço, onde não faltou a tradicional feijoada, muitas pessoas tiveram oportunidade de conviver com os outros da sua geração. Para além de reconfortar o estômago, esta iniciativa serviu de verdadeiro ponto de encontro para muitas pessoas. Foi o caso de Alice Maia que, na hora da despedida, exclamava “os anos que se passaram sem ver esta amiga”. “Só por isto já valeu a pena”, afirmava com os olhos brilhantes, que insistiam em controlar as lágrimas de alegria, abraçada à velha companheira de infância.

almoco-idoso-camara

No convívio participaram cerca de 900 pessoas segundo dados da autarquia, que quis oferecer uma tarde diferente aos seniores. Uma tarde onde a injecção de auto-estima era imperativa e o pezinho de dança um condimento imprescindível para empurrar o almoço.

Toda a comida, desde o prato principal à sobremesa, foi oferecido por várias empresas de restauração do concelho, garantiu o edil Bernardino Vasconcelos. O presidente da Câmara estava satisfeito com a adesão a mais uma iniciativa dedicada aos menos jovens do concelho. É um evento que é “feito de coração” para “tirar da solidão” muitos seniores, afirmou ao NT/TrofaTv, não deixando de exultar o “sucesso” das actividades promovidas em prol dos seniores das oito freguesias do concelho.

“Ao longo destes dez anos, as colónias balneares, os convívios quinzenais com as actividades no Centro Comunitário e as festas tentam a coesão municipal. Eu gosto imenso das pessoas, gosto imenso de sentir um sorriso nos lábios das pessoas e quando nós conquistamos um sorriso nalguns rostos com rugas, taciturnos e fechados, ganhamos a vida. É este o sentimento de base que este almoço encerra e envolve, por isso estou feliz”, referiu.

O pessoal que trabalhou todo o dia na iniciativa fê-lo gratuitamente, merecendo também uma palavra de agradecimento do edil trofense.

E como não há dança sem música, a cantora Cláudia, habitante de S. Romão, animou o dia dos mais velhos com música tradicional portuguesa e o Rancho Folclórico de Alvarelhos deu um colorido diferente ao espaço, com as danças e músicas que eternizam os antepassados.

Eventos para seniores não se fazem “por política”

No seu discurso aos seniores, Bernardino Vasconcelos apontou o dedo aos autores das “críticas” à Câmara pelas iniciativas dedicadas aos menos jovens do concelho. “Mas relativamente a essa matéria nunca tremi, por achar que estava no caminho certo, por achar que vocês mereciam todo o nosso afecto”.

Ao NT/TrofaTv afirmou que esta resposta é dada aos “candidatos” que se aprontam nas várias candidaturas “na generalidade”: “Quantos eu ouvi, hoje os que se aprontam nas várias candidaturas, que diziam que gastávamos demasiado dinheiro com os idosos, que era preciso olhar para outras faixas etárias, e nós fazêmo-lo, mas cada coisa no seu lugar. Podíamos ceder a essa crítica, a essa pressão, mas nunca o fizemos, porque o que fazemos é por convicção, não é por política”.