Mão criminosa pode ser a explicação para as dezenas de ignições, muitas delas com inicio que nos últimos meses têm consumido centenas e hectares de floresta e mato no concelho da Trofa.

Os dois incêndios que causarem maiores preocupações aos bombeiros foram os de domingo passado em Vilares e em Guidões onde durante vários horas por terra e por ar, dezenas de Bombeiros combateram as chamas que consumiram cerca de 4 hectares de floresta.

Em Vilares o alerta foi dado cerca das 14,40 horas para um incêndio em mato que foi combatido por “55 homens com 12 veículos, 2 helicópteros, um ligeiro e um pesado” como adiantou ao NT Filipe Coutinho, segundo comandante dos Bombeiros Voluntários da Trofa. O fogo foi dado como circunscrito às 17 horas mas já desde as 16,15 horas que os bombeiros estavam a trabalhar numa outra frente de fogo. Um incêndio de grandes proporções deflagrou numa zona de eucaliptal e mato em Guidões e só a rápida intervenção dos Bombeiros evitou o pior. Dezenas de casas e uma unidade industrial estavam “no caminho do fogo” que acabou por ser detido pelos soldados da paz.

Joaquim Moreira (Bombeiros Voluntários de Vila do Conde) comandante de operações adiantou que a ajuda do helicóptero pesado Kamov foi muito importante pra ajudar os homens que no terreno combatiam as chamas. “Quatro corpos de Bombeiros, num total de 55 homens, auxiliados por 15 veículos e um meio aéreo portanto um helicóptero pesado conseguiram controlar o fogo”,assegurou.

António Pontes vereador do pelouro da Protecção Civil da Câmara Municipal da Trofa não há duvida de que “muitas das ignições que ocorrem de madrugada ou a horas como hora de almoço aos domingos por exemplo, têm mão criminosa”. O responsável adiantou que “a Câmara já contactou com a Policia Judiciaria denunciando algumas situações que nos parecem duvidosas e os inspectores tem estado no terreno a investigar”, adiantou.

 

O vereador reconhece e bom trabalho desenvolvido pelo corpo de Bombeiros e pede colaboração à população para ajudar os Bombeiros da Trofa.