Cento e trinta bombeiros, de oito corporações, apoiados por 42 viaturas, um helicóptero bombardeiro pesado Kamov, e ainda elementos da Proteção Civil Municipal da Trofa e da Maia combateram as chamas no concelho. Na última semana, as chamas consumiram cerca de 13,35 hectares de mata e floresta.

As freguesias do Muro e Santiago de Bougado foram as mais afetadas pelos incêndios. Na véspera de S. João, na Rua de Matos, no Muro, um incêndio deflagrou cerca das 22.30 horas. Seis bombeiros da Trofa, auxiliados por duas viaturas, combateram o fogo durante duas horas. No dia 25, as chamas voltaram a assolar o local, tendo destruído 1,5 hectares.

Na mesma noite, cerca das 23.30 horas, no Monte das Covas, em Santiago de Bougado, as chamas destruíram seis mil metros quadrados de floresta. O incêndio foi extinto às 2.40 horas. O mesmo lugar foi novamente devastado pelas por um incêndio que começou cerca das 19 horas de 26 de junho, tendo ardido cinco hectares. No dia seguinte, 27 de junho, nove bombeiros da Trofa, com três viaturas, voltaram a combater as chamas, que começaram pouco depois da meia-noite.

A manhã de 25 de junho começou com o fogo a lavrar em S. Mamede do Coronado, no Lugar do Facho. Os 46 soldados da paz, apoiados por 16 viaturas, combateram as chamas durante todo o dia. Para extinguir o fogo, os bombeiros tiveram ainda o apoio de um helicóptero Kamov e da Proteção Civil da Trofa e da Maia no Local. No local estiveram, para além da Corporação da Trofa, bombeiros da Maia, Ermesinde, S. Mamede Infesta,Valongo e Vila do Conde. Arderam cinco hectares de floresta. Na mesma freguesia, no lugar de Lila, no dia seguinte, ardeu um hectare de mata.

{fcomment}