Obra de ampliação e requalificação custou mais de um milhão de euros

Câmara Municipal inaugurou ampliação e requalificação da EB 1 e JI do Muro. Empreitada custou um milhão e 200 mil euros.

“Bem-vindos à Escola Básica do Muro. Obrigada por terem vindo. É com muita alegria que vos recebemos”. O discurso do pequeno André Antunes bem podia ser o de um político, mas este espelha a felicidade vivida de perto, todos os dias, com os amigos, na nova escola.

Ele e os colegas receberam com orgulho os visitantes que participaram na cerimónia de inauguração da ampliação e requalificação da Escola Básica e Jardim de infância de Estação, no Muro, durante a tarde de sábado.

Depois de cumprido o protocolo, com o hastear das bandeiras, bênção e descerramento da placa evocativa da inauguração, seguiu-se uma visita aos três edifícios guiada pelos alunos. Esta empreitada custou um milhão e 200 mil euros, com comparticipação de fundos comunitários em cerca de 800 mil.

“Nós temos uma grande estratégia para o nosso concelho que é a Educação. Tratam-se de projetos que se iniciaram no início do meu mandato, com muitas dificuldades ao nível procedimental e do ponto de vista financeiro. Com muito trabalho e habilidade, conseguimos ultrapassar alguns constrangimentos que tínhamos, nomeadamente os financeiros, e hoje todos os centros escolares em obra estão praticamente concluídos”, frisou Joana Lima, presidente da Câmara Municipal.

Pais e professores salientam a importância da intervenção para a qualidade de ensino das crianças. Carolina Silva, coordenadora da escola, afirmou que “tudo chama a atenção das crianças e quanto melhor estiver apetrechada, melhor será o ensino”. “As crianças vêm mais motivadas e interessadas. Gostam de ir para escola e isso faz com que o processo de ensino-aprendizagem se processe de maneira diferente”, argumentou.

inauguracao-EB-1-Estacao-Muro-

Já José Martins, presidente da Associação de Pais, considera que este era “um equipamento que fazia falta à comunidade escolar”. Os encarregados de educação, acrescentou, sentem-se “gratos” por as crianças “disporem destas instalações e terem melhores condições para aprender”.

Esta é a terceira escola inaugurada, depois de Querelêdo e Paradela. Faltam Paranho e Finzes para que se conclua um projeto que envolveu um investimento de mais de sete milhões de euros, comparticipados por fundos comunitários e com um investimento da Câmara Municipal da Trofa de mais de 2 milhões de euros.

 

Requalificar a EB 2/3 da Trofa e lutar pela conclusão da Secundária

O próximo grande passo é tentar a requalificação da EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques que Joana Lima admitiu ser “um problema” que “aflige”. E sobre este assunto, a autarca deixou um recado aos opositores: “Este problema já foi discutido muitas vezes. Não fizemos a candidatura anteriormente, porque as candidaturas das escolas estão a cair ao nível da Área Metropolitana do Porto e iríamos gastar dinheiro no projeto, sem conseguir que ele fosse aprovado. Gostávamos que quem diz que se a candidatura fosse feita seria uma realidade nos ajudasse com vontade e verdade. Não venham dizer que é possível fazer quando sabem que é impossível e eu provo com documentos”. A edil garantiu que “quando abrir um aviso para (a requalificação) das escolas”, a autarquia estará “na primeira linha” para avançar com esse projeto.

Joana Lima garante ainda estar a pressionar o Governo para concluir as obras na Escola Secundária. “Não é, de todo, a melhor solução ter uma escola como esta que tem metade pronta e outra metade completamente degradada. Tenho feito contactos aos mais variados níveis e tenho feedback de que as coisas se vão começar a resolver a partir do início do ano que vem”, anunciou. 

{fcomment}