Utentes da TrofaSenior Residências comemoraram santos populares com tudo o que a festa exige. Idosos tiveram oportunidade de recordar romarias de outros tempos.

Xaile pelos ombros, balões de papel, muita música e, como não podia deixar de ser, a boa sardinha assada.

Os utentes e colaboradores da TrofaSenior Residências comemoraram os santos populares, com convívio e animação entre todos, que começou com o almoço, no dia 22 de junho.

Maria Girão, uma das utentes que participou na festa, não escondia o contentamento: “Foi uma almoçarada, com as sardinhas, como é tradição. Foi um almoço bom e muito bem feito, com muita animação”.

A colega Laurinda Brochado garantiu, convicta, que esta foi “uma festa muito bonita”. Ainda assim, esta utente da TrofaSenior Residências não dançou nas marchas populares, mas ficou a assistir ao bailarico dos colegas.

Também Maria Celeste Silva estava feliz, até porque o almoço “tinha muita coisa boa”. “É importante assinalar estas datas”, defendeu.

Ângela Saldanha, animadora social da TrofaSenior Residências, explicou que “há uma planificação, com o contributo de todos, das atividades a realizar”. “Há uma discussão do que eles consideram que é importante para o arraial. Cada um dá a sua opinião e depois formulamos um projeto, que incluiu o almoço, as músicas, as danças e até a decoração, já que muitos dos enfeites foram feitos pelos idosos”, acrescentou.

A ténicas que organizaram a festa popular não escondiam a satisfação por ver o sorriso no rostos dos idosos: “Não é mimar, mas ir sensibilizando as pessoas para isso. O mimo é importante, o carinho é indispensável, mas é preciso estimular, reforçar o quão positivo é para a pessoa dançar, estar connosco, não se isolar, partilhar nesta festa que é de todos, isso sim é importante e é um mimo para nós e para eles”, explicou Ângela Saldanha.

Também a diretora técnica da TrofaSenior Residências, Marta Paulino, reconheceu que a instituição está neste tipo de iniciativas “de coração aberto com espírito de partilha”. “É preciso haver muita estimulação, para que os idosos percebam o quanto é importante a presença e a partilha deles, porque senão não tem sentido. Todas estas festas são importantes porque são feitas por eles. É este o segredo da TrofaSénior: tornarmos cada momento especial, porque de facto não voltamos atrás com o tempo”, ressalvou.

Alfredo Gomes, presidente do Conselho de Administração da TrofaSenior Residências, confessou que estes “são sempre momentos em que se esquecem alguns problemas e se comemora a alegria de uma vida”.

Festas à parte, os utentes mostraram-se muito satisfeitos por viverem na TrofaSenior Residências.

A principal diferença que Laurinda Brochado encontrou foi “na comida”. Maria Celeste Silva está há quase um ano na TrofaSenior Residências e garante que “agora é muito melhor”.

Os elogios fazem os responsáveis sentirem-se orgulhosos: “Eu tenho o prazer de vir para aqui todos os dias. De entrar num espaço que é acolhedor, onde até os pássaros se ouvem, com uma envolvência bucólica, aqui ao lado do Porto. O espaço é, de facto, muito agradável”, referiu Alfredo Gomes.

Este foi um dia diferente para os idosos que escolheram a TrofaSenior Residências, que serviu para comemorar a vida e recordar festas de outros tempos.

{fcomment}