Select Page

Hospital da Trofa investe em Alfena

imgp3441.jpg

 

 

 

 

A Casa de Saúde da Trofa SA, empresa proprietária do Hospital da Trofa, vai construir um hospital Privado na vila de Alfena num investimento de cerca de 15 milhões de euros

Hospital Privado de Alfena é o nome da nova unidade de saúde, cujo projecto foi publicamente apresentado na semana passada, no centro Cultural de Alfena, concelho de Valongo.

Um bloco operatório com 4 salas, com capacidade para varias especialidades, quatro salas de maternidade, consulta externa para cerca de 45 especialidades, serviço de urgência 24 horas por dia são apenas algumas das valências da nova estrutura que nascerá próximo do limite sul de da freguesia.

Na origem deste investimento que poderá atingir os 50 milhões de euros, esta o grupo detentor do Hospital da Trofa, inaugurado em 1999, e cujo investimento, numa primeira fase será de 15 milhões de euros e que deverá estar concluído em 2008.

Fernando Melo, presidente da câmara de Valongo não conseguiu esconder o seu entusiasmo com esta obra. “Esta unidade de saúde com a possibilidade de as pessoas puderam desfrutar de serviços como TAC e ressonância magnética é uma passo importante e é uma conquista para o norte de Portugal. Isto não é algo que possamos partidarizar”, frisou.

Numa segunda fase de construção deverá surgir uma zona residencial assistida, vocacionada para os seniores e numa terceira fase, residências para estudantes e vários serviços de apoio criando “uma nova centralidade em Alfena”.

Outro dos rostos felizes era o de Arnaldo Soares, presidente da Junta de Freguesia de Alfena que confidenciou ao NT ter “feito o trabalho de casa e preparei em cerca de 15 dias um dossier sobre a localização óptima para esta unidade de saúde assim como o publico alvo”, realçando ainda que “o facto de termos uma boa localização a nível rodoviário, terá pesado na escolha”, acrescentou.

José Vila Nova, enquanto explicava o novo investimento, admitiu que esta unidade, foi inicialmente pensada para a Maia. Contudo, o Hospital da Trofa abandonou a ideia de construir um Hospital Privado na Maia, devido a uma falta de interesse da parte da Autarquia e Santa Casa.

Este projecto arrastou-se por longos meses, e José Vila Nova, garantiu que as ideias iniciais eram excelentes e que até agora não consegue perceber onde falhou, e continua a aguardar a reunião com o Presidente da Câmara Municipal da Maia, marcada há dois meses, com intuito de esclarecer a situação, no entanto, reconhece que o processo arrastou-se por demasiado tempo, perdido. Embora acredita que a Maia ficará igualmente bem servida, pois a nova unidade hospitalar de Alfena encontra-se mesmo junto à fronteira do Concelho.

A Santa Casa da Misericórdia, desmente a sua desistência, dizendo que tudo se tratou de uma opção, “a Mesa decidiu que o projecto mais interessante pertencia ao Grupo Português de Saúde, responsável por várias unidades hospitalares. Por isso, optou por esse investidor”. A outra entidade no projecto é a Câmara Municipal, mas esta distância-se do assunto, mas, Bragança Fernandes, Presidente da Autarquia, referiu o que, “o hospital cabe à Santa Casa da Misericórdia e não à Câmara Municipal. Quando o processo foi iniciado apareceram dois investidores. Esta foi uma opção da Santa Casa.”

Entretanto, o processo de construção de um Hospital na Maia continua em fase de negociações. “O facto de não se construir o Hospital Privado na Maia, permite equacionar uma estratégia interessante, que é centralizar duas unidades, sendo uma no Pólo Oriental e outra no Pólo Ocidental, muito junto ao Aeroporto”, explica José Vila Nova. O hospital da Trofa tem como objectivo avançar com uma unidade mais pequena, tendo como prioridade a área materno-infantil, terão a primeira unidade privada de cuidados intensivos neo-natais no Norte do País, terão serviços de urgência 24 horas em obstetrícia, adianta o administrativo.

José Vila Nova afirma que o processo negocial ainda está em curso, numa fase adiantado de decisão, mas ainda sem data prevista para a construção do novo Pólo.

 

 

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização