Select Page

Homenagem ao Poeta José Tolentino Mendonça

Homenagem ao  Poeta José Tolentino Mendonça

A vida e obra de José Tolentino Mendonça acabam de ser reconhecidas publicamente pela Câmara Municipal de Santo Tirso. Em cerimónia que decorreu no dia 17 de Março, no salão nobre dos Paços do Concelho, o poeta (mas também padre, teólogo, dramaturgo e ensaísta) foi alvo de justa homenagem no âmbito da iniciativa camarária “Fé na Poesia”.

O Presidente Castro Fernandes foi o primeiro a usar da palavra para anunciar que era com muita honra que a Edilidade Tirsense homenageava pela quarta vez um distinto poeta português, depois de 2004, 2005 e 2006 o ter feito, respectivamente, com António Ramos Rosa, Cruzeiro Seixas e Manuel António Pina. Sobre a iniciativa “a fé na poesia”, edil tirsense referiu que em Santo Tirso se continuava a sentir no ar a presença de poetas, independentemente, de seis deles terem aceite o convite de entrar “pelo arco do convento para experimentarem no mais fundo recolhimento o húmido silêncio espiritual”. Sobre as respectivas “divinas experiências” a Câmara Municipal de Santo Tirso dará, posteriormente, o devido relevo e a necessária publicitação. José Tolentino Mendonça , a esquerda , acompanhado pelo edil tirsense

De seguida, coube a Maria João Reynaud – licenciada em Filologia Românica, doutorada em Literatura Portuguesa e professora associada da Faculdade de Letras do Porto – a tarefa de apresentar a vida e obra do poeta homenageado.

Na sua intervenção, José Tolentino Mendonça começou por agradecer na pessoa do Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, a homenagem de que era alvo, congratulando-se por saber que, pelo menos uma autarquia, insiste em trazer para as suas ruas os versos de muitos poetas portugueses. Para Tolentino Mendonça “A linguagem que melhor traduz a relação com a transcendência é muito próxima da poesia, uma linguagem simbólica, aberta, fulgurante”. E acrescentou: “A oração é a possibilidade de estabelecer uma relação com o silêncio sagrado, no sentido em que, entre o silêncio dos claustros, se procura através da poesia, o divino”. Para Tolentino Mendonça “a poesia é a vida”.

Refira-se que José Tolentino Mendonça é o mais recente poeta a ser homenageado pela Câmara Municipal de Santo Tirso no âmbito da sua iniciativa anual denominada “A Poesia está na Rua”, este ano, dedicada ao tema “Fé na Poesia” que culmina no dia 21 de Março com o “roteiro dos conventos” em que os mosteiros abrirão as suas portas para acolher todos os interessados em ouvir, através da poesia ou de outras formas de expressão escrita, o testemunho público da experiência vivida pelos poetas no silêncio conventual.

Dia 21 de Março – o “roteiro dos conventos”

Fernando Echevarria, Daniel Maia-Pinto Rodrigues, Ivo Machado, Aurelino Costa, Ana Luísa Amaral e Maria João Reynaud são alguns dos poetas que aceitaram este desafio e, em prol da poesia, vão permanecer em regime de clausura nos vários mosteiros do Concelho de Santo Tirso durante uma semana (de 15 a 21 de Março). É deste património ímpar de que o concelho de Santo Tirso dispõe que a Câmara Municipal pretende dar testemunho. Homens e mulheres que “aprendem a viver com o essencial renunciando ao supérfluo”. E para melhor interiorizarem este espírito de clausura, os poetas vão poder guiar-se pelo quotidiano dos conventos e mosteiros, experimentando assim as suas rotinas. Desde as 06h30 da manhã, hora a que iniciam o seu dia, até à hora de deitar, 21h30, o “dia monástico” inclui momentos de meditação, laudes, eucaristia, leitura, trabalho e oração, momentos esses que vão ser acompanhados e partilhados pelos poetas.

Assim, pelas 10h30 de dia 21 de Março, é o Mosteiro de S. José quem acolhe os versos com um recital de poesia. A maratona prossegue pelo Mosteiro da Visitação (13h30), Mosteiro de Santa Escolástica (15h30) e Mosteiro de Singeverga (17h30) onde, para além de um recital de poesia, se irá proceder à evocação do poeta Daniel Faria, à oração de Véspera e Canto dos Salmos. Pelas 20h00, a poesia completa as suas “24 horas” pelas ruas de Santo Tirso, agora com um jantar convívio que contará com a presença dos poetas que permaneceram em clausura nos Mosteiros. Como a poesia é a palavra do dia, este convívio vai ser animado por uma sessão de poesia e música.

Os mosteiros e os poetas

Mosteiro das Clarissas, ou Mosteiro de São José das Clarissas Adoradoras, situado em Vila das Aves. Data de 1964, possuindo uma Capela dedicada a São José. A oração e a contemplação são a via para a afirmação da vida teológica. É no Mosteiro das Clarissas que os poetas Daniel Maia-Pinto Rodrigues e Ivo Machado vão efectuar o seu retiro conventual ao longo da “Semana da Poesia”.

Mosteiro da Visitação, ou Mosteiro da Visitação da Virgem Santa Maria, situado em Vila das Aves. O seu fundador foi José Maria de Almeida Garrett da Quinta da Carreira, herança de seus pais, em 1887. No ano de 1987, comemorou jubilosamente o seu centenário. O padroeiro da Ordem é S. Francisco de Sales, sendo simultaneamente padroeiro dos jornalistas. Neste mosteiro não haverá poetas em retiro.

Mosteiro de Santa Escolástica, situado em Roriz. 1935, é a data atribuída à sua fundação. As Monjas Beneditinas da Rainha dos Apóstolos, para além do natural recolhimento, dedicam-se ao fabrico de Doçarias. Maria João Reynaud e Ana Luísa Amaral são as duas poetisas que ficarão ao abrigo deste Mosteiro até dia 21 de Março.

Mosteiro de Singeverga, situado em Roriz. A sua fundação data de 1892. Possui um valioso espólio de arte sacra, destaque para uma imagem de São Bento em madeira policromada, seiscentista. Muito perto do Mosteiro, está situado o seminário, local onde se produz o afamado Licor de Singeverga. Também o Mosteiro de Singeverga apoiou esta quarta edição de “a poesia está na rua” acolhendo os poetas Fernando Echevarria e Aurelino Costa.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização