Guilherme-Ramos-1 

Em S. Romão do Coronado Guilherme Ramos festejou a reeleição para a Junta de Freguesia, tendo conquistado a vitória com 49,67 por cento dos votos. Rui Damasceno do Partido Socialista foi a segunda opção mais votada pelos romanenses, ao arrecadar 38,03 por cento dos votos.

Foram 1272 os romanenses, mais 112 que em 2005, que quiseram acreditar em Guilherme Ramos para continuar a liderar a freguesia. O PSD registou uma subida de 1,20 por cento face às eleições de há quatro anos e mantém os mandatos na Assembleia de Freguesia.

Satisfeito com a vitória, Guilherme Ramos afirmou, em declarações ao NT, que “quando as pessoas reconhecem o trabalho feito a satisfação é muito grande”. Relativamente à subida face a 2005 o autarca romanense mostrou-se entusiasmado e reconheceu que “mandato após mandato são cada vez melhores os resultados”, o que adquire especial relevo tendo em conta os muitos habitantes que têm escolhido S. Romão para viver. “Numa freguesia que tem crescido bastante aceleradamente há um número de pessoas que não conhecemos e que não conhecemos a sua forma de agir e pensar”, lembrou.

Guilherme Ramos quer dar continuidade ao trabalho desenvolvido e para o novo mandato as prioridades passam por “avançar rapidamente para a segunda fase do saneamento básico e abastecimento de água e a conclusão de alguns passeios iniciados nas estradas principais”. O projecto da futura sede da Junta irá continuar em andamento e a Quinta de S. Romão “não pode parar” segundo Guilherme Ramos. Questionado sobre a relação da Junta de Freguesia com a nova Câmara eleita, o autarca frisou que “antes da cor partidária está o desenvolvimento da freguesia e do concelho”. “Não acredito que ter participado numa lista do PSD a freguesia irá ser penalizada pelo facto da Câmara ter optado por uma alternativa”, considerou.

Já Rui Damasceno enfrentou a derrota, ao ficar em segundo lugar com 38,03 por cento dos votos. Em entrevista ao NT, o socialista revelou a sua tristeza face aos resultados e confessou que nos últimos dias a esperança começou a esmorecer. “Estava a sentir que ia perder, mas quando parti foi para ir até ao fim”, salientou. Rui Damasceno parabenizou o vencedor Guilherme Ramos e afirmou que aceita a derrota “plenamente”. Apesar de não vencer as eleições, o romanense garante que ganhou “na amizade, no contacto com a população e na experiência que adquiriu”. Garantindo que irá assumir o mandato na Assembleia de Freguesia “com o máximo de empenho”, Damasceno afirmou que não quer pensar no futuro e que no presente irá dedicar-se à família, continuar a trabalhar e concluir o curso de engenharia.

Em terceiro lugar na votação dos romanenses ficou o CDS-PP com 4,69 por cento, seguido pela CDU com 4,57 por cento.