antonio-azevedo-1 

Para António Azevedo a vitória soube a um “voto de confiança dos bougadenses que veio premiar o trabalho realizado nos últimos oito anos”. Em Santiago de Bougado a festa foi dos sociais-democratas que reelegeram o autarca com 52,42 por cento, mais 286 votos relativamente a 2005.

Para António Azevedo o “voto de confiança” dos bougadenses foi “inequívoco”. “É sinal de que a população está contente com o trabalho desta Junta, é um desafio porque ao darem-nos outro voto de confiança esperam mais de nós e logo mais responsabilidade e vamos assumir essa responsabilidade e dar o contributo para que Santiago de Bougado tenha mais qualidade de vida”, asseverou, em declarações ao NT.

Satisfeito também com a subida do número de votos face a 2005, António Azevedo garante que o primeiro passo novamente à frente da Junta de Freguesia será “ouvir as pessoas e tentar resolver os problemas a nível social e económico”. Não menos prioritário é o acordo com o proprietário do terreno destinado à construção da capela mortuária e a construção do centro comunitário. António Azevedo defende ainda que “o PDM deve ser reformulado e para isso “é preciso unir as células urbanas de Lagoa a Finzes e na zona de Bairros unir a parte urbana à parte rural”. Infra-estruturas rodoviárias, passeios, iluminação e sinalética para “mais cidade e melhor cidade” são outros dos objectivos do autarca bougadense.

“Não surpreendido, mas triste” estava Filipe Portela, candidato socialista a Santiago de Bougado. Com 32,5 por cento dos votos, Filipe Portela mostrou-se satisfeito pelo partido ter atingido o objectivo de subir a percentagem de votos socialistas, mas por outro lado não escondeu a tristeza por não poder protagonizar a mudança em Santiago de Bougado. “Fiquei triste porque Santiago pode ficar parado em termos de desenvolvimento no futuro e daqui a quatro anos podemos estar praticamente na mesma em termos de inovação e desenvolvimento, coisa que é necessária para a freguesia evoluir”, defendeu. Filipe Portela vai assumir o mandato na Assembleia de Freguesia onde, juntamente com a sua equipa”, promete ser “uma oposição forte.

Em Santiago de Bougado 308 eleitores (7,04 por cento)votaram no CDS-PP, enquanto a CDU foi a opção de 118 bougadenses (2,7 por cento). O PSD mantém sete mandatos na Assembleia de Freguesia, o PS elegeu cinco e o CDS-PP continua com um mandato.