Na sequência da operação “Shadow Game” desencadeada entre 6 e 8 de novembro pela Guarda Nacional Republicana, no combate ao jogo ilícito através de plataformas online e jogos de fortuna ou azar, alguns indivíduos foram interrogados no posto da GNR da Trofa. Já na área de intervenção do Destacamento Territorial de Santo Tirso, segundo o NT apurou, houve dez buscas realizadas, mas sem nenhuma detenção.
A operação envolveu vários comandos territoriais do país, com cerca de mil militares no terreno. Foram feitas 267 buscas domiciliárias e não domiciliárias, bem como buscas a 156 veículos, “que visaram a organização responsável pela conceção, distribuição e exploração de plataformas de jogo online, desde os responsáveis pela sua conceção e fabrico, aos distribuidores e exploradores do jogo ilícito”, informou a GNR em comunicado. No Luxemburgo, através do apoio da polícia local, houve três buscas domiciliárias e cinco não domiciliárias que visaram suspeitos portugueses fixados naquele país, numa ação que contou com “o patrocínio e apoio operacional” da EUROPOL.
Foram constituídas arguidas 14 sociedades comerciais e 93 pessoas singulares de nacionalidades portuguesa, brasileira, luxemburguesa e suíça, tendo havido ainda 30 detenções em Portugal, das quais sete em flagrante delito, e uma detenção no Luxemburgo, em cumprimento de um mandado europeu.
Foram apreendidos 600 mil euros em dinheiro, três mil dispositivos informáticos utilizados para a exploração do jogo, apostas e lotarias ilícitas, como computadores, tablets e telemóveis, 86 automóveis de gama média e alta, 22 armas de fogo e cerca de 200 munições. Também foram congelados os ativos dos suspeitos, avaliados em cerca de seis milhões de euros.