Grupo Tradições Infantis promoveu ao final da tarde de domingo, 22 dezembro, um convívio entre as “gentes de Cidai”, junto ao Largo Manuel Canejo, onde, junto ao presépio, deram as boas festas.

À vez, ia surgindo de cada rua da aldeia um grupo maioritariamente de senhoras que, munido de lumieiras, deslocavam-se até ao centro de Cidai, no Largo Manuel Canejo, cantando as boas festas. Chegados à beira do presépio, seguiam-se os cantares ao Menino. Esta foi a forma que o Grupo de Tradições Infantis de Cidai encontrou para dar as boas festas às “gentes” da aldeia, em vez de “se deslocar” pelas casas, o que seria “difícil”, devido às várias ruas íngremes.

Segundo a responsável pelo grupo, Laura Campos, esta foi uma “forma diferente” de dar as boas festas a Cidai. “Entendemos que devíamos chamar as pessoas ao centro da aldeia para dar as boas festas e aguardar que deem a sua dádiva como é próprio desta época”, declarou, enunciando que as pessoas “receberam bem e ficaram entusiasmadas” com a ideia. Foi “a primeira vez que se fez o presépio no centro da aldeia”, atestou.

O “objetivo fundamental” da atividade, adiantou, era “unir as pessoas”, tendo sido a forma encontrada para se “juntarem e se concentrarem junto a uma fogueira, como faziam antigamente para serem colocadas as pinhas para se extrair os pinhões”. “Creio que esta é a forma mais própria para uma aldeia, as pessoas juntaram-se à volta de uma ideia”, frisou.

A responsável contou com a presença do Agrupamento de Escuteiros de Santiago de Bougado e de Bruno Ferreira, pároco de Santiago de Bougado, o que “contribui para que as pessoas se chegassem a este espaço”.