Um ano para mais tarde recordar. A equipa de juniores do Grupo Cultural e Recreativo de Alvarelhos assegurou a "dobradinha" esta temporada e nem o caso disciplinar que atrasou a final da Taça desmoralizou os jogadores que bateram a Associação de Moradores da Urbanização da Barca, por três bolas a uma.

   Dezenas de pessoas marcaram presença no pavilhão desportivo da EB 2,3 de S. Romão do Coronado para assistirem à final da Taça concelhia de juniores, o último encontro do fim-de-semana recheada de campeões e vencidos dos escalões que compõem os campeonatos da Associação de Futebol Popular da Trofa.

Depois de vencerem o campeonato, os 11 atletas partiram para a final da Taça um pouco nervosos, o que permitiu os adversários protagonizarem os primeiros lances de perigo. Na equipa do Alvarelhos notava-se uma desarticulação entre o sector mais recuado e o pivô, Jardel, que não conseguia importunar o guardião adversário.

Só com a aproximação do intervalo é que os campeões de juniores desta temporada conseguiram libertar-se das marcações e chegar ao golo, por intermédio do goleador da equipa, Jardel.

Na etapa complementar entrou melhor a Associação de Moradores da Urbanização da Barca com Keita a aproveitar os espaços livres deixados pelos adversários na zona central para testar os reflexos do guardião Luisinho, uma das figuras da equipa do Alvarelhos. O guarda-redes teve um papel muito importante para segurar a vantagem, que foi dilatada novamente por Jardel, por duas ocasiões, lances que evidenciam o excelente entendimento entre os elementos e a arma mais forte da equipa: o contra-ataque.

A AM Urbanização da Barca conseguiu diminuir a desvantagem, mas foi incapaz de se superiorizar e conseguir levar a partida para o prolongamento. Aí já Hélio tinha sido expulso por palavras dirigidas a um dos árbitros. Jardel foi também protagonista de um episódio lamentável já no final da partida ao desentender-se com o árbitro, por não concordar com o cartão amarelo, exibido de forma pouco esclarecedora.

O "caneco" foi entregue aos atletas de Alvarelhos, dos quais o mais entusiasta e que não largou mais o troféu foi o guardião Luisinho.

Estas equipas voltam a encontrar-se no próximo sábado, pelas 21.30 horas, no pavilhão desportivo da EB 2,3 de S. Romão do Coronado, para disputarem a Supertaça concelhia de juniores.

 

"É uma vitória de um grupo de trabalho"

Sérgio Carvalho, treinador da equipa do Alvarelhos, estava satisfeito com mais "uma vitória de um grupo de trabalho". Apesar de "quase manchado" por um "episódio infeliz", o triunfo espelha a equipa que melhor esteve dentro de campo, apesar do equilíbrio que caracterizou a partida, não esquecendo o "ascendente do Barca na segunda parte".

"Contudo soubemos aproveitar o que melhor conseguimos fazer, que é o contra-ataque com o Jardel a finalizar e hoje ficou mais uma vez provado que é um grande finalizador e que merecia altos voos", referiu.

Como aspecto negativo enunciou a exibição da equipa da arbitragem, que foi a que "esteve pior dentro de campo".

Quanto ao futuro Sérgio Carvalho deixou em aberto a sua continuidade, uma vez que a maior parte dos atletas vão ter que abandonar o campeonato de juniores por atingirem o limite de idade e "ainda faltam muitos meses para o início da próxima temporada".

 

"Hoje cheguei à conclusão que somos vítimas"

"É sempre mau perder, ainda para mais quando podíamos ter ido ao prolongamento". Foi desta forma que Heitor Correia, treinador da AMU Barca analisou a partida com o Alvarelhos. O técnico não poupou críticas ao conselho disciplinar e equipa de arbitragem, afirmando que "desde o início do campeonato que andam em cima da Barca no que respeita à arbitragem. Tive um caso com uma pessoa do conselho disciplinar e fui castigado. Por estarmos a cumprir o regulamento só conseguem afectar-nos pela arbitragem. Hoje chego à conclusão que somos umas vítimas", referindo-se a propósito da expulsão do seu jogador.

No comando da equipa júnior da Barca por mais um ano, Heitor Correia referiu que a associação pretende melhorar as condições do ringue de futsal, "um dos melhores da Trofa" e que "infelizmente não tem balneários". O treinador adiantou que foi feito um "pré-acordo com a Junta para desenvolver esforços junto da autarquia para acabarmos a obra". Depois disso "ninguém vai brincar com a Barca", concluiu.

Cátia Veloso