Dezoito associações que mantém vivo o movimento desportivo concelhio juntaram-se na Quinta da Azenha, em Guidões, Trofa, para a Gala de Futebol Amador, que encerrou mais uma temporada.

Centenas de jogadores, treinadores, árbitros e dirigentes esqueceram a competição que têm dentro do campo e viveram uma noite de convívio que visa o encerramento saudável de mais uma época desportiva.

O convívio saudável de atletas e dirigentes mereceu o elogio de Bernardino Vasconcelos, presidente da Câmara Municipal da Trofa, que exultava a “festa” feita pelos intervenientes: “isto significa que eles interiorizaram que o mais importante é a prática do desporto”, afirmou em entrevista ao NT/TrofaTv.

O presidente da Câmara não deixou também de elogiar a evolução dos campeonatos concelhios, quer de futsal, quer de futebol de 11, que actualmente mobilizam cerca de 1100 pessoas, 700 atletas, 300 dirigentes e ainda os árbitros. “Hoje a Trofa, quer ao nível de futebol 11 popular, quer ao nível de futsal já tem uma qualidade excelente e isso é fruto do trabalho de anos dos próprios elementos”, afirmou.

Esta evolução faz o edil “sentir mais orgulho” pelo facto de manter uma colaboração com a associação que já dura há dez anos, que foi reconhecida com a entrega de uma placa de homenagem pela parceria desenvolvida.

“Apoiamos bem, com sentido de oportunidade para mobilizar as pessoas e dar-lhes bons momentos através das associações, que passam pela prática saudável”, referiu.

O apoio, segundo o edil, nunca será considerado “despesa”, mas sim “investimento”, porque “é dada a oportunidade aos mais velhos, mas sobretudo aos mais novos de ocupar os seus tempos livres de forma saudável”.

Apesar de estar a crescer “com menor velocidade” no que toca a recintos desportivos, a Trofa está a trabalhar para apetrechar outros meios. No entanto, Bernardino Vasconcelos não deixa de referir que “houve um crescimento global”.

“A Trofa em 1999 tinha cerca de 13 associações e hoje tem cerca de 88 quer recreativas, quer desportivas, quer culturais, tem por detrás também não só a boa vontade dos dirigentes, a adesão dos atletas, mas também todo o apoio camarário sempre certo e sempre pronto para esse estímulo”, sublinhou.

 

Atletas e dirigentes estão mais bem intencionados”

Artur Costa cumpriu o segundo ano do mandato como presidente da Associação de Futebol Amador da Trofa e afirmou que esta temporada “correu muito melhor”, pela “experiência adquirida na época transacta”.

O facto de terem havido vários campeonatos a serem decididos apenas nas últimas jornadas também foi um elemento que facilitou o trabalho da associação. “Este ano foi um campeonato que decorreu com vários títulos a serem discutidos nas últimas jornadas o que fez com que as coisas corressem pelo melhor, não houve situações de reclamações em cima da hora nem casos de conflito no final de época. Eu penso que os atletas e os dirigentes estão também mais bem intencionados e vêem isto de uma forma diferente”, afirmou.

E se dentro das quatro linhas a competição faz a disputa de duas equipas, já o jantar que marca o encerramento de mais uma época desportiva mostra que as diferenças são esquecidas. “Este jantar é o sinal da vitalidade. As pessoas esquecem as diferenças e todo o futebol amador se une para um momento de confraternização e de convívio”, explicou Artur Costa.

O presidente afirmou que actualmente existem em competição 18 associações, divididas em 45 equipas. Semanalmente a Trofa viu seis campeonatos a decorrer, desde iniciados de futsal até aos seniores de futebol de 11.

No meio de tanto movimento, a principal dificuldade assenta na falta de infra-estruturas para acolher o elevado número de jogos.

“Os recintos desportivos são poucos e há que os rentabilizar. Nós alugamos alguns campos às colectividades, pagamos o aluguer desses campos para que aqueles que não têm campo possam jogar e consegue-se com esta ginástica fazer com que decorram normalmente entre 25 a 30 jogos em cada fim-de-semana”.

No final do jantar por entre os habituais cânticos de campeões foram galardoadas seis equipas vencedoras dos campeonatos que decorreram esta temporada, assim como todas as outras receberam um troféu e as equipas com melhor ataque e melhor defesa. Foram ainda reconhecidas as equipas com mais fair-play dos respectivos campeonatos.

Também os elementos da associação, assim como os representantes de outras fora do concelho da Trofa e árbitros receberam lembranças.