Ivo Silva e João Oliveira são dois trofenses que ganharam o passatempo Forasteiros do Festival Sudoeste. Sem dinheiro, os jovens passaram por vários sítios de Portugal e viveram da ajuda dos outros com um desejo: estar perto de David Guetta.

Apesar de terem entrado no concurso com quatro dias de atraso, Ivo Silva, 19 anos, e João Oliveira, 20, conseguiram ser uma das cinco duplas com mais votos na foto que publicaram na página do Facebook do Festival Sudoeste da TMN. Concretizada esta tarefa, competia a estes jovens trofenses elaborar um vídeo – em que tinham que caracterizar o espírito do Festival – que reunisse o consenso do júri do concurso. Acabou por ser o escolhido.

Mas as tarefas não acabaram por aí. Depois de uma reunião com a organização do Festival em Lisboa, Ivo e João tornaram-se forasteiros por dez dias. De 26 de Julho a 4 de Agosto, os jovens andaram pelo país apenas com uma mochila, um mapa e um telemóvel fornecido pela marca, com o qual acediam ao Facebook para pedir ajuda às pessoas. Em troca dessa ajuda, que se traduzia em boleias, comida e alojamento, eles retribuíam com bilhetes para o Festival.

A comida e local onde dormiam eram ao critério das pessoas, sendo que, em nenhum momento, rejeitaram nada que as pessoas lhes ofereceram. Dormiram em vários sítios: numa varanda, no chão, no sofá, na cama, e até num hotel estiveram alojados.

Além disso, ainda tinham que realizar vários desafios propostos pela organização. Sempre que conseguiam apoio, as pessoas não saíam de mãos a abanar, porque os jovens tinham canetas, autocolantes, t-shirts e carteiras para oferecer em jeito de agradecimento.

“Durante este período não tínhamos dinheiro para nada, sendo que tudo o que conseguíamos era através da boa-vontade das pessoas ou das coisas que oferecíamos”, contaram os jovens ao NT.

Foi uma amiga que lhes falou do passatempo, que já se encontrava a decorrer. Os dois jovens, que se conhecem há 15 anos desde os tempos de infantário, leram o regulamento e acharam que “iria ser uma experiência única”. E de “única” passou a ser “a melhor” das suas vidas.

 

Dez dias por terras de Portugal

Ao longo dos dez dias, os jovens retiraram um sem número de experiências enriquecedoras que vão ter lugar especial no baú das recordações. “Conhecemos praticamente todas as tradições e costumes das várias regiões de Portugal. Além disso, não conhecíamos as pessoas que nos ajudavam, mas acabávamos sempre por ser muito bem recebidos. Faziam-nos sentir em nossa casa sem que nos faltasse nada”, afirmaram.

Os pais até “reagiram bem” à ideia e “apoiaram muito”. Os jovens só não se “safavam” dos telefonemas todas as noites, altura em que podiam comunicar à vontade.

Em todos os dias da viagem, os forasteiros estiveram em directo para a Rádio Comercial, para explicar os desafios e os lugares por onde passavam. Desta forma, apelavam à ajuda das pessoas nas zonas onde se encontravam. Também foram acompanhados por uma equipa da Sic Radical, que filmava todas as provas e transmitia no canal quatro vezes por dia. No penúltimo dia também foram entrevistados pelo mesmo canal generalista e a reportagem passou no Jornal da Noite.

“Durante este período sentimos um pouco de fama, muitas pessoas passavam por nós e cumprimentavam-nos. Sabíamos que estávamos bastante expostos, mas encaramos isso de forma divertida e acabou por ser uma experiência agradável. Com isto, conseguimos perceber como funciona o mundo da fama e agora voltamos à nossa vida normal. No entanto, algumas pessoas ainda nos abordam quando nos vêem na rua”, referiram.

 

Pisar o mesmo palco de Guetta foi uma sensação inexplicável”

A estadia no festival foi “fantástica”, asseguraram. Para além dos ingredientes convívio, diversão, praia e amigos, o facto de terem chegado com o estatuto de forasteiros contribuiu para que fosse tudo “mais engraçado”. “As pessoas metiam conversa connosco para saber sobre a nossa experiência de atravessar o país em dez dias”, contaram.

Por entre os prémios, Ivo e João tiveram acesso ao meet & great, que possibilitava contacto próximo com os artistas. O “maior desejo” destes jovens trofenses “era estar com o David Guetta em palco”. “A sensação de pisar o mesmo palco de alguém como Guetta é óptima e ao mesmo tempo inexplicável… Gravámos alguns vídeos para nunca esquecermos o momento que nos foi concedido”, afirmaram.

Para além do concerto do Dj, os jovens adoraram os de Mika, Jamiroquai e Expensive Soul.

Ivo Silva, de Santiago de Bougado, no 2º ano de Bioengenharia na UTAD em Vila Real, e João Oliveira, de S. Martinho de Bougado, candidato a Psicologia na Universidade de Coimbra, não encontram nenhum aspecto negativo da experiência que viveram. Adoraram conhecer com mais pormenor o país e prometem que para o ano vão regressar ao Festival Sudoeste.