Há já três dias que as chamas não dão tréguas à população de Covelas e aos Bombeiros. Uma zona de mata junto à Auto-estrada nº3 tem sido destruída pelo fogo, que deflagrou pela primeira vez na segunda-feira, cerca das 21.40 horas.

 

Na terça-feira à hora de almoço, os Bombeiras foram novamente chamados para combater o fogo, que acabou por ser extinto às 16.05 horas. Como não há duas sem três, esta quarta-feira os soldados da paz voltaram a ser chamados para combater um incêndio no mesmo local, onde estiveram 11 elementos e quatro viaturas dos Bombeiros Voluntários da Trofa e, ainda, as corporações de Santo Tirso, Tirsenses, de S. Mamede Infesta e de Valongo, auxiliados por mais seis veículos, um helicóptero, o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR e a Protecção Civil da Trofa e da Maia.

O comando das operações foi assegurado pelo Adjunto do Comando dos Bombeiros Voluntários de Valongo, que não adiantou as causas do incêndio, adiantando no entanto que “as autoridades estão a investigar” .

 

Incêndio em Vilares

O fogo deflagrou na tarde de terça-feira em Vilares, na freguesia do Muro. A zona florestal em causa está próxima de algumas habitações, mas nenhuma delas esteve em perigo.

Para combater o incêndio acorreram ao local 27 soldados da paz, apoiados por oito viaturas. As corporações de Bombeiros da Trofa, Vila do Conde, Santo Tirso e Tirsenses contaram, ainda com a ajuda de um helicóptero, do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR, da Protecção Civil da Trofa e da Polícia Municipal.

O foco foi considerado dominado às 16.20 horas. Daniel Azevedo, adjunto do Comando dos Bombeiros Voluntários da Trofa, esteve no local a coordenar as operações e explicou ao NT/TrofaTv que “o acesso à cabeça do incêndio foi difícil”. Os pontos de acesso ao cume do monte tiveram de ser desobstruídos pelos soldados da paz de forma a permitir a sua actuação. Este atraso fez com demorasse mais tempo a dominar o fogo nesse sector.

As chamas consumiram cerca de quatro mil metros quadrados de mata e eucalipto e foram extintas às 18.35 horas.