O Núcleo de S. Martinho de Bougado da Fraternidade Nuno Álvares (FNA) e o Agrupamento 94 da freguesia homenageou, no sábado, dia 5 de janeiro, os fundadores do escutismo da Trofa.

De forma a encerrar as comemorações do 50º aniversário, que decorreu ao longo do ano de 2012, o Núcleo de S. Martinho de Bougado da Fraternidade Nuno Álvares (FNA) decidiu organizar uma “sentida homenagem” aos fundadores do escutismo da Trofa, com uma romagem ao cemitério da freguesia. Uma homenagem à qual se associou o Agrupamento 94 do Corpo Nacional de Escutas (CNE) de S. Martinho de Bougado.

Escuteiro desde os 12 anos, José Couto, chefe do núcleo de S. Martinho de Bougado da FNA, mencionou que “uma vez escuteiro, escuteiro para sempre” e, por essa razão, é que organiza “estas homenagens e convívios”. “Ficam sempre na memória os bons momentos, dos acampamentos, da confraternização entre os escuteiros nacionais, internacionais e acampamentos internacionais. É toda uma vivência de juventude que fica para trás e que é bom recordar de vez em quando”, afirmou.

 

José Couto é perentório: o escutismo é “a lei da vida”, pois é aí que os jovens se formam e aprendem “as melhores maneiras de contornar as dificuldades”.

Joaquim Carneiro, chefe dos escuteiros do Agrupamento 94 de S. Martinho de Bougado, relembrou que esta romagem ao cemitério já é “usual e tradicional”, sendo uma das atividades que se realiza anualmente, com o intuito de “homenagear os escuteiros falecidos ao serviço do escutismo e também dos fundadores”. O “grupo ativo” (Agrupamento 94) decidiu associar-se ao “escutismo adulto” (FNA) para esta homenagem, por achar que “esta data era a mais oportuna” dada a “comemoração do 50º aniversário da FNA”.

“Esta longevidade logicamente diz-nos muito, porque o escutismo a nível mundial tem mais de cem anos. O movimento continua atual e faz com que a juventude tenha um crescimento integral nas várias vertentes da educação. A semente que apareceu há tantos anos só faz com que a gente tenha mais força para continuar a trabalhar com os jovens, com a sociedade e com voluntariado para que continuem a estar aqui por mais 80 ou cem anos”, referiu.

O chefe do Agrupamento 94 que, atualmente conta com cerca de “120 elementos”, denotou que o grupo está “presente, sempre pronto e alerta para servir não só a paróquia de S. Martinho de Bougado, como também o País”, estando sempre disponível para quem precisar dos escuteiros.

O presidente da Junta Regional da FNA do Porto, Jorge Carvalho, não pôde faltar a esta iniciativa uma vez que o seu núcleo de origem é o de S. Martinho de Bougado. Para si, as comemorações ao longo do ano 2012 “correram bem” e contou com “algumas atividades que relembraram o que foi a FNA ao longo dos anos”. “As comemorações de hoje (sábado) visavam lembrar o benefício que nos deram os nossos fundadores do escutismo da Trofa e os fundadores da FNA, para que não fiquem esquecidos todo o bem que nos proporcionaram e aquilo que podemos continuar a proporcionar aos outros”, asseverou.

Para Jorge Carvalho, nos últimos anos, a FNA tem dado “passos bastante grandes” na “melhoria” do “escutismo adulto”, pois, enquanto no escutismo jovem aprende-se “algumas práticas para que a vida seja melhor e mais salutar”, no escutismo adulto tem-se “desenvolvido algumas práticas no apoio à comunidade e na divulgação do escutismo no seu todo”.

 

O que é a FNA?

A Fraternidade de Nuno Álvares (FNA) é uma associação de Escuteiros Adultos, constituída por “antigos” filiados do Corpo Nacional de Escutas (CNE) – Escutismo Católico Português, que não puderam ou não podem continuar no ativo nessa associação, vivendo em conformidade com a Lei, Princípios e Promessa criados pelo fundador do Escutismo, Robert Baden-Powell.

É uma associação “autónoma, de âmbito nacional e sem fins lucrativos”.

{fcomment}