O Núcleo de Investigação Criminal de Matosinhos deteve um morador de Covelas e apreendeu várias armas, peças em ouro e 4600 euros, no dia 10 de janeiro. Desavença familiar motivou furto.

 Um desentendimento familiar terá levado um indivíduo a furtar da casa do seu pai, que residia em Folgosa, na Maia várias armas de fogo, peças em ouro e 4600 euros em dinheiro.

Tudo terá decorrido na quinta-feira, dia 10 de janeiro, quando a Guarda Nacional Republicana (GNR) da Maia foi chamada para tomar conta da ocorrência de um furto numa casa em Folgosa. O caso transitou para o Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Matosinhos, que, em conversa com o lesado, descobriu que este não tinha um bom relacionamento com o filho, que vivia em Covelas. Os elementos do NIC deslocaram-se, então, a casa do filho, de 27 anos, que afirmou que não estava envolvido no furto. No entanto, ao encetarem uma busca na residência, acabaram por perceber que o indivíduo estava ligado ao crime, ao encontrarem o material furtado: notas e moedas antigas de coleção, dois relógios de bolso, duas máquinas fotográficas, vários objetos em ouro, nomeadamente medalhas, anéis, fios, vários relógios de pulso, uma espingarda de caça, duas armas, uma caçadeira de 12 milímetros, uma cartucheira com cerca de 30 cartuchos, mais de 50 cartuchos e 4600 euros em dinheiro.

Além disso, o NIC apreendeu ainda uma caçadeira de 12 milímetros, uma pistola de calibre 6,35, três armas alteradas, alguns cartuchos, dois bastões extensíveis e uma catana de mato, por posse ilegal.

Ao que o NT conseguiu ainda apurar, o jovem terá confessado o furto, sublinhando que só o fez devido aos desentendimentos que tinha com o seu pai, alegando que este tratava mal a sua família.

O caso baixou a inquérito, tendo o detido sido constituído arguido, aguardando o julgamento em liberdade.

{fcomment}