"Vila de Ribeirão, uma Terra, um Povo e a sua História" é o título do terceiro livro de Firmino Santos, que foi apresentado na passada sexta-feira. O escritor ribeirense, que vive na Trofa, promete agora pensar numa nova publicação, desta vez, sobre a história de Santiago de Bougado.

   Era à sombra de um carvalho, "a ouvir os pássaros chilrear", que Firmino Santos tomava anotações e conseguia a inspiração necessária para escrever um livro com 286 páginas. Os dias de chuva eram "uma alegria" para o escritor e só juntando estas componentes se pôde "dedicar à escrita".

Depois de cinco anos de estudo e investigação, Firmino Santos, publica agora mais um trabalho que diz ser "um sonho". "Era um sonho escrever sobre a história da minha terra e isto deu-me muito trabalho, houve muita pesquisa, desânimos muitas vezes, mas eu queria que a minha terra tivesse um livro", afirmou o escritor.

"Meses após meses", foi juntando factos, pequenas histórias, contactando pessoas, recolhendo documentos "que guardei quando tinha 10 ou 12 anos e hoje serviram-me de muito". Mas segundo o autor, "não foi fácil contactar pessoas, umas vezes somos bem recebidos, outras não".

Não garante que o livro tenha toda a história de Ribeirão, porque "há sempre coisas que escapam", mas "sou o primeiro a escrever um livro sobre a história da minha terra e fico honrado, eu sei que no futuro surgirão outros muito mais organizados, mas eu já dei o meu contributo", acrescentou.

Depois de uma pausa, Firmino Santos promete começar a pensar num novo tema para escrever: "Eu estou sempre a dizer que este é o último livro e que não escrevo mais, mas um livro sobre a história de Santiago de Bougado é uma coisa a pensar"

A presentação do livro esteve inserida nas comemorações dos 22 anos da vila de Ribeirão e o presidente da Junta José Reis, apesar de não ser "fã de ler livros", mostrou "curiosidade em ler as histórias da terra", porque "tenho a certeza de que este livro tem bastante qualidade", acrescentou o edil ribeirense.

António Pontes, vereador do pelouro da Cultura da autarquia trofense, foi também ao concelho vizinho, à apresentação do livro do escritor que diz já conhecer. "O senhor Firmino abordou-me há alguns anos atrás com o sonho de lançar o seu primeiro livro e na altura percebi que realmente gosta de partilhar com os outros aquilo que sente e as suas percepções sobre a vida que o rodeia", afirmou.

"Coragem e capacidade de dedicação", são as palavras com que António Pontes definiu o escritor, porque "escrever um livro não é coisa fácil, sabemos que o trabalho dele nem sequer está relacionado com as letras, mas isso nunca o impediu de lutar por esse sonho de lançar o primeiro livro, na Casa da Cultura, na Trofa, há uns anos atrás".

Quanto à possivel publicação de um novo livro sobre as histórias de Santiago de Bougado, terra onde o escritor reside, Pontes diz apoiar a iniciativa, porque "a história de uma terra nunca está cem por cento estudada e dada a conhecer, assim, à medida que os livros vão aparecendo, aparecem também novos dados, novos documentos".

Escritos recheados de histórias que "andam de boca em boca, há décadas" e que agora ficam "gravadas para as gerações vindouras", estão disponíveis no livro "Vila de Ribeirão, uma Terra, um Povo e a sua História".