filipe-couto-reis 

Criador trofense conquistou duas dezenas de prémios no 8º Concurso da Raça Holstein Frísia, ultrapassando o número de títulos arrecadados na edição do ano passado.

Não conseguiu a “cereja no topo do bolo” alcançada na edição de 2009, mas superou as expectativas ao ultrapassar o feito do ano passado. Com 20 prémios arrecadados no 8º Concurso da Raça Holstein Frísia, Filipe Couto Reis é já uma referência na criação da raça no concelho e na região. Com um repertório de títulos extensivo de fazer inveja a qualquer criador, o trofense, proprietário de uma exploração maioritariamente criada na Trofa, destacou-se na edição de 2010 da Feira Anual da Trofa ao arrecadar 20 prémios com 13 dos seus 17 animais que levou a concurso.

A vários primeiros lugares nas secções de vitelas e novilhas, Filipe Couto Reis somou o título de Grande Campeã Jovem no primeiro dia do concurso. Já no domingo arrecadou os prémios de Vaca Campeã Jovem, Vaca Campeã e Vice-Campeã Intermédia e Vaca Vice-Campeã Adulta, Melhor Conjunto, para além de vários primeiros lugares conquistados. Apesar de não vencer o tão almejado título de Vaca Grande Campeã da Feira, Filipe Couto Reis fez “um balanço extremamente positivo” e revelou-se “muito satisfeito” com os prémios arrecadados. “A minha vaca que ficou em segundo lugar foi a vaca que foi a campeã desta feira no ano passado, só que se encontra num estado pouco próprio para participar no concurso, visto que o parto ocorreu há cerca de 20 dias”, adiantou.

A qualidade dos animais exibida, que a cada ano supera as expectativas, é fruto de um trabalho intensivo nos bastidores. E porque “o mais importante para cuidar destes animais é a presença do criador”. Filipe Couto Reis passa “cerca de 16 horas por dia” na exploração, onde o dia começa bem cedo. “Às 6.45 horas os animais são ordenhados, segue-se a limpeza do estábulo, alimentação e depois é reparar se há algum comportamento menos comum no dia-a-dia do animal”, adiantou.

“Eu tenho os animais que participam em concursos separados de todos os outros, porque só assim é que os conseguimos ter em perfeitas condições para participar em certames desta natureza”, sublinhou.

Sobre a edição de 2010 da Feira Anual da Trofa, o criador trofense considerou que está “extremamente profissionalizada”, sendo apenas preciso “melhorar urgentemente as acessibilidades” ao recinto.