A abertura da vigésima primeira edição do Vodafone Paredes de Coura ficou a cargo de um naipe de nomes portugueses, traduzindo a vertente do festival de lançamento e consolidação de talentos nacionais. Nas duas primeiras noites do festival estará em funcionamento apenas um palco, o Vodafone FM, em frente ao qual o público se concentrou na noite de ontem para ver Tape Junk, O Bisonte, Sensible Soccers, Moulinex e The Filthy Pigs.

A inauguração do festival ficou a cargo dos Tape Junk, o mais recente projecto de João Correia, conhecido vocalista dos Julie & The Carjackers que tem também tocado em variados projectos – Frankie Chavez, Márcia, Walter Benjamin. Com melodias de inspiração folk e outlaw country e com influências pop, a banda veio apresentar o álbum de estreia The Good and the Mean, de onde já saiu o single Buzz. A banda manteve uma boa interacção com o público expressando desejos de assistir a um festival que se espera “legendary”. Afinal, como dizia a banda, nitidamente agradecida por abrir o festival, “estamos todos cá para nos divertirmos”. Assim foi. E – espera-se – continuará a ser.

Com o palco já pronto para a segunda actuação da noite começou a ouvir-se a voz de Samuel L Jackson numa das famosas cenas do filme Pulp Fiction. Era esta a deixa de entrada de O Bisonte. Este projecto do Porto, com já alguns trabalhos em carteira (Ala, Mundos & Fundos e El Rei D Sebastião), trouxe a Paredes de Coura o seu rock duro e um grupo de seguidores muito entusiasmado que vibrou com o som bem pesado da banda nortenha.

Seguiu-se o quarteto Sensible Soccers, com o seu indie alternativo e uma electrónica de ambiente um tanto ao quanto psicadélico. A noite tinha já caído e o público já se juntava numa massa bastante interessante que escutava com entusiamo a música que a banda oferecia.

Seguiu-se Moullinex, projecto de Luis Clara Gomes, que desde tenra idade tem procurado encontrar o seu som muito próprio, recusando-se a aderir a um género musical específico. Em Paredes de Coura apresentou a sua música acompanhado de dois ananases que embelezavam a sua “mesa de trabalho”.

Os The Filthy Pigs são Mosca (Nuno) e Esteves (Orlando), dois DJs a quem coube o fecho da primeira noite do festival. Trata-se de um “projecto muito marado” de dois courenses, iniciado há três anos, numa noite em que o dono de um bar na pacata vila de Paredes de Coura, decidiu dar mais música e cerveja mais barata aos festivaleiros. Desde então, vão “passando” música um pouco por todo o lado, onde quer que haja cerveja fresca e vontade de ouvir “boa música”. Recusam ser catalogados com um estilo e o seu principal objectivo é expandir os horizontes musicais de quem os ouve. O público vibrou com a selecção musical destes dois filhos da terra. A música do Festival Paredes de Coura continuará a animar as  margens da praia fluvial do Taboão até sábado dia 17.

Texto: Joana Teixeira
Fotos: Miguel Pereira

Fotogaleria (clica nas imagens para aumentar)

{phocagallery view=category|categoryid=21}