Contrariamente a anos anteriores, as festas de Santiago contaram com quatro dias de programa. 

Pela “primeira vez” em muitos anos, as festas de Santiago, padroeiro da freguesia com o mesmo nome, ganharam uma maior dimensão com “três noitadas” e quatro dias de programação (de 25 a 28 de julho), no Souto da Lagoa, “encerrando num domingo pleno de festa”. O que não acontecia em “anos anteriores” em que “nem uma noitada sequer se fazia”, afirmou António Castro, juiz da festa, que considera que, por isso, a Confraria do Senhor e de Santiago “está de parabéns”.

O dia do padroeiro, quinta-feira, iniciou-se com uma sessão de fogo de artifício. Numa noite “bela” em que o tempo estava “bom”, “bastante gente” marcou presença no Souto da Lagoa, para assistir à missa solene e sermão, à procissão de velas e ao espetáculo do conjunto de música tradicional portuguesa A Rapaziada.

A noitada de sexta-feira, que foi a que teve “mais gente”, esteve a cargo da “prata da casa”, com o espetáculo de Márcia Azevedo e as marchas de S. Pedro da Maganha.

Leia a reportagem completa na edição do jornal O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.