Caracterizando a comissão como humilde e trabalhadora, José Guilherme congratulou-se pela manutenção da tradição. "Houve pessoas que nos surpreenderam de forma positiva e que nos ajudaram muito. Estava tudo muito bonito, tanto o sítio como a capela em si, que é um sítio emblemático", referiu.

   Cumpriu-se mais uma edição das festividades de Nossa Senhora do Desterro, no lugar de Bairros, em Santiago de Bougado, Trofa.

Depois de quatro meses a organizar a festa, a comissão que se responsabilizou pela concretização da iniciativa, conseguiu cumprir todo o programa e nem a chuva impediu um balanço positivo das festividades, que se realizaram entre 19 e 20 de Abril e que terminam no feriado de 25 de Abril, com um almoço dos elementos da comissão de festas.

A comissão começou a pensar no programa de festas em Dezembro de 2007 e a organizá-lo em Janeiro. Para suportar as despesas contou com o apoio da Câmara Municipal da Trofa e da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado. A comissão conseguiu ainda juntar o patrocínio de mais de 50 empresas, prova de que o tecido empresarial da terra "está solidário com a comissão", afirmou José Guilherme, membro da comissão de festas em honra a Nossa Senhora do Desterro.

"Os tempos estão difíceis não podíamos esperar muito, conseguimos ocupação excelente do Souto de Bairros, embora as nossas receitas quebrassem devido ao tempo. Tivemos de baixar um pouco os preços".

José Guilherme afirmou que, de facto, a principal dificuldade foi o mau tempo: "já há muito que tínhamos tudo organizado, mas mesmo com a chuva considero que tivemos uma ocupação extraordinária este ano. Estava tudo muito bonito, a festa fechada quase em círculo, com um recinto excelente".

Os objectivos foram todos cumpridos, apesar da comissão ter de fazer alterações no horário, devido às condições atmosféricas adversas.

O ponto alto destas festas foi a procissão de domingo à tarde, que também foi sujeita a adaptações devido à chuva. Alice Santos, também membro da comissão, referiu que "foi um espectáculo, a procissão estava muito bem organizada, com anjinhos, a rainha dos anjos, saíram também três andores, o de Santo António, o de Santa Bárbara e o de Nossa Senhora do Desterro. Em cada andor vêm os figurantes, que no total foram 33".

Caracterizando a comissão como humilde e trabalhadora, José Guilherme congratulou-se pela manutenção da tradição. "Houve pessoas que nos surpreenderam de forma positiva e que nos ajudaram muito. Estava tudo muito bonito, tanto o sítio como a capela em si, que é um sítio emblemático", referiu.

Na sua opinião, a actuação da Orquestra de Ritmos Ligeiros da Trofa fez uma "excelente actuação" e agradou a todas as pessoas que se juntaram no recinto das festas.

O Souto de Bairros é um "lindo" espaço, mas "está desaproveitado, não tem parque infantil por exemplo, e é um bom local para a prática de desporto".

 

Uma comissão sem cargos

Reuniram-se para manter viva a tradição de honrar a padroeira de Bairros. "Somos dez pessoas, que trabalham todas em conjunto e sem pensar nos cargos que ocupam. Quando nos sentamos todos à mesa temos ideias diferentes, mas conseguimos chegar a um consenso. Assim é que tudo funciona", atestou o responsável.

Depois de concretizada mais uma edição das festividades "é uma boa altura para recrutar novo elementos, porque organizar a festa provoca um desgaste muito grande e são necessárias pessoas novas".

Alice Santos, Vítor Sampaio, José Guilherme, Marco António, Maria Alice, Manuela Sampaio, Sérgio, José Santos, Luciano e José Moreira são as dez pessoas que ocuparam muitas horas das suas vidas para encher o recinto de Bairros com várias atracções, nunca deixando de privilegiar as celebrações religiosas. "Temos de conciliar tanto o profano como o religioso. A religião é uma festa, estamos a honrar a nossa santa com uma junção perfeita", concluiu.