Após um interregno de cerca de “sete anos”, as festas em honra de Nossa Senhora da Livração voltaram a realizar-se em Santiago de Bougado, entre os dias 15 e 21 de julho.

Há cerca de “sete anos” que o largo da capela de Nossa Senhora da Livração não acolhia a vertente profana das festas dedicadas à santa, enquanto as celebrações religiosas não se realizavam “há três anos”. Um grupo, a convite do pároco de Santiago de Bougado, Bruno Ferreira, decidiu reativar as festas. Agradada pela iniciativa dos dez festeiros, residentes em Lantemil, Cedões e Trofa Velha, a comunidade aderiu em massa às festividades, que decorreram ao longo de uma semana.

A vertente religiosa contou com missas com sermão, um terço e procissão de velas até à imagem de Cristo Rei, uma missa solene e um terço e procissão em honra de Nossa Senhora da Livração. No fim de semana, a animação esteve a cargo dos grupos Alvadance e Super Crowd, Maria do Sameiro e Nelo Ferreira, encerrando com as atuações do Grupo de Danças e Cantares e Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado.

O presidente da comissão de festas, Pedro Paiva, fez um balanço “bastante positivo” das festividades, tendo as perspetivas sido “mais do que superadas”, relativamente àquilo que estavam à espera. Ao longo das festas, a comissão ouviu comentários “bastante positivos”, o que é “gratificante” e “dá força”, depois do trabalho que tiveram. Também as cerimónias religiosas tiveram uma “boa adesão”, acrescentando que a procissão de velas “correu bastante bem”.

Uma das apostas da comissão de festas foi a iluminação e a ornamentação da capela e ruas envolventes, o que gerou comentários “agradáveis” por parte da comunidade. Outra aposta foi a noitada na sexta-feira, que não se fazia “há muito tempo”, que teve “muita gente” a assistir ao espetáculo do conjunto musical Santo André.

Pedro Paiva denotou a presença de “dois grupos de dança” de outras freguesias, que pediram para participar nas festas, de forma a fazer uma “pequena demonstração”. A comissão acedeu ao pedido, o que correu “bastante bem”, visto que a sua presença ajudou a trazer “bastante gente”.

Quando questionado sobre a continuidade dos elementos para organizarem a festa no próximo ano, Pedro Paiva foi evasivo: “Depois logo se vê”, respondeu. A comissão de festas está recetiva à entrada de “novos elementos” para que no próximo ano as festas continuem.