Há cerca de 27 anos a conduzir os destinos dos covelenses, Fernando Moreira e o seu executivo tomaram posse num edifício que foi pequeno para acolher todos os que quiseram assistir à cerimónia. Fernando Moreira preferiu não fazer promessas, mas avançou que vai apostar nas políticas sociais, apoiando os “mais desfavorecidos e as crianças”.

A construção da sede da Junta de Freguesia, de um campo de jogos e a ampliação do cemitério são algumas das obras prometidas por Fernando Moreira, reeleito presidente da Junta de Freguesia de Covelas. O homem, que há cerca de 27 anos merece em cada acto eleitoral a confiança da população de Covelas, reafirmou os seus objectivos para mais quatro anos de mandato e garantiu “trabalhar por Covelas”.

“A construção da sede de Junta, a ampliação do cemitério e ver se consigo fazer um campo de jogos para a juventude para passar os tempos livres são os meus grandes objectivos. Penso ainda nestes quatro anos concluir a rede de saneamento e água e a renovação da escola de Querelêdo, que competem à Câmara Municipal, e penso fazer uns passeios e arruamentos e a limpeza das ruas da freguesia”, garantiu.

fernando-moreira-1

O autarca garante que gosta “muito de Covelas”, por isso, a diferença partidária entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia não será um entrave na resolução dos problemas dos covelenses. “Tudo irei fazer para respeitar e ser respeitado, penso que com educação e civismo devemos procurar entender-nos”, afirmou.

Pela primeira vez a assumir o cargo de Presidente da Assembleia de Freguesia, Laurinda Martins, eleita pelo PPD-PSD, foi também empossada para assumir as funções para as quais foi eleita. “A minha postura será certamente de moderadora e terei, também, sempre presentes os interesses do povo de Covelas”, defendeu.

Também pela primeira vez o CDS-PP terá uma voz na Assembleia de Freguesia de Covelas. Nicolau Silva foi o membro eleito que, empenhado no projecto do partido, prometeu a “fiscalização” de todas as acções da Junta de Freguesia.

“Quero agradecer ao povo que votou em mim e que confiou em mim e no projecto do CDS-PP. O grande objectivo é fiscalizar, basicamente é o que nos compete e obrigar a Junta a executar tudo o que prometeu. Não vamos facilitar, vamos estar sempre atentos”, afiançou o membro centrista.

Nos próximos quatro anos, o objectivo de Domingos Faria, membro eleito pelo Partido Socialista , será pressionar o executivo social-democrata “a cumprir o que prometeu aos covelenses”. “Eu tenho que pressionar o presidente de Junta para que cumpra o que prometeu, porque se cumprir o que prometeu, a minha satisfação é total”, acrescentou. Apesar de todas as promessas feitas pelo executivo social-democrata, para Domingos Faria faltou “uma muito importante”: “O que ele não prometeu, mas para mim mais importante que tudo, é a devolução à freguesia do que recebeu quando foi eleito e aquilo que a freguesia tinha há dez anos atrás, quando pertencia a Santo Tirso, que era uma área de 16,69 quilómetros quadrados”.

“Políticas à parte”, o membro socialista vai “colaborar com todos”, sendo o lema para este mandato “trabalhar para melhorar a freguesia e melhorar a qualidade de vida do povo que tanto necessita”.

Com nove membros eleitos na Assembleia, os covelenses passam a ter em representação das suas vontades seis membros do PSD, dois do PS e um do CDS-PP.