A Trofa passou a dispor de mais uma superfície comercial, que promete "preços baixos e produtos de qualidade a todos os habitantes do concelho". Garantindo 110 postos de emprego, o Feira Nova dispõe de uma área de venda, com café, loja de electrodomésticos e uma loja de vestuário.

  Ainda faltavam 30 minutos para a abertura e já uma multidão de carrinho em punho aguardava às portas do Feira Nova para fazer as primeiras compras. A nova superfície comercial abriu na passada terça feira e promete fazer concorrência às outras instaladas no concelho.

Localizado na Trofa-V elha, o Feira Nova dispõe de uma área de venda de 1.700 metros quadrados, a que se somam os 436 metros quadrados da loja Electric Co, dedicada à comercialização de electrodomésticos e à electrónica de entretenimento, 357 metros quadrados da New Code, loja de têxteis com propostas jovens e modernas e ainda o espaço Café&Cª com 56 metros quadrados. A loja dispõe ainda de um parque de estacionamento com capacidade para mais 200 veículos.

Inserido num projecto que visa investir em várias cidades do país, com a construção de superfícies comerciais até 2009, o Feira Nova da Trofa promete, segundo o director de loja, Manuel Vasconcelos, "preços baixos e produtos de qualidade a todos os habitantes da Trofa".

A abertura desta unidade garantiu o emprego de 110 pessoas, "que foram escolhidas segundo critérios de currículo e de proximidade à loja. Apesar de termos colaboradores de regiões vizinhas, como Ribeirão, os privilegiados são os do concelho da Trofa", referiu.

Já o presidente da autarquia trofense, Bernardino Vasconcelos, valorizou a abertura do Feira Nova, no sentido de ter criado postos de trabalho e de ser uma mais valia para a população, pois "esta superfície traz produtos com qualidade e que, dada a concorrência existente, são cada vez mais baixos". Questionado sobre a possibilidade de a existência destas grandes unidades comerciais poderem prejudicar o comércio tradicional, o edil desdramatizou: "a abertura destas lojas não implica que o comércio tradicional seja atingido, porque o tipo de clientes é diferente".

Relativamente aos rumores sobre uma eventual abertura do Jumbo no concelho da Trofa, Bernardino Vasconcelos garantiu que ainda nada foi apresentado na Câmara Municipal, mas assegurou que "se qualquer empresa de qualquer ramo quiser instalar-se na Trofa e certificar a criação de um número razoável de postos de trabalho, será bem vinda".

Clotilde de Araújo foi uma das primeiras clientes do Feira Nova e, em declarações ao NT, referiu que os preços "são normais. Apenas me chamaram a atenção as promoções de detergentes e do bacalhau, mas o restante está dentro do normal". Por seu lado, Beatriz Campos, marcou presença no dia de abertura "por curiosidade" e valorizou o facto de o Feira Nova estar próximo da sua habitação e das aulas de ginastica que frequenta.

 

Jerónimo Martins adjudica obra no valor de 3,2 milhões de euros

Com esta nova loja, o Feira Nova passa a disponibilizar 42 superfícies localizadas de norte a sul de Portugal.

De acordo com o Diario Economico, o grupo de distribuição Jerónimo Martins adjudicou à construtora Domingos da Silva Teixeira as obras para a loja na Trofa pelo montante de 3,2 milhões de euros.

Na Trofa, a loja dispõe das áreas de Mercearia, Bebidas, Garrafeira, Queijos e outros Produtos Lácteos, Congelados, Livraria, Bricolage e Jardim, Casa, Perfumaria e Drogaria. Vai estar aberta todos os dias das 9 horas às 22 horas, fechando apenas no dia de Natal, no dia de Ano Novo e no dia 1 de Maio.