No âmbito da campanha “Procuram-se Abraços” da Associação Mundos de Vida, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão substitui “temporariamente” o nome de algumas ruas por apelos aos direitos das crianças.

 “Vila Nova de Famalicão é a cidade dos abraços”. Palavras de Armindo Costa, presidente da Câmara Municipal, depois de Manuel Araújo, presidente da Associação Mundos de Vida, ter proferido que o concelho de Vila Nova de Famalicão regista “o maior número de famílias de acolhimento familiar do País”.

Os números foram avançados na sequência do lançamento de mais uma iniciativa inédita no âmbito da campanha “Procuram-se Abraços”, que consiste na “substituição temporária” do nome de algumas ruas, largos ou praças da cidade por apelos aos direitos das crianças. Assim, nos próximos dois meses, a Praça D. Maria II vai chamar-se “Praça Procuram-se Abraços”, a Rua de Santo António recebe o nome de “Rua Cidade Amiga da Infância”, enquanto a Rua Adriano Pinto Basto adota o nome de “Rua Famílias de Acolhimento”.

Segundo Manuel Araújo, esta é uma forma de “sensibilizar a sociedade” para o direito da criança em crescer no seio familiar, bem como “uma homenagem” às famílias de acolhimento. Quanto ao concelho, o presidente da associação garantiu que este responde a “40 por cento das medidas de acolhimento familiar aplicadas no distrito de Braga”. Recorde-se que em Portugal, estima-se que “8500 crianças” vivem em instituições, separadas dos seus pais.

Para Armindo Costa, os números do acolhimento familiar são “encorajadores” e ajudam a afirmar Vila Nova de Famalicão como um concelho “verdadeiramente solidário”. “Temos um conjunto de instituições sociais com grande dinâmica e sentido empreendedor, como resulta claro do trabalho inovador desenvolvido pela Mundos de Vida”, acrescentou.

A campanha decorre em dez concelhos dos distritos de Braga e do Porto durante os dois próximos meses, procurando captar novas famílias de acolhimento para crianças e jovens. O objetivo principal da campanha é “alargar a bolsa de famílias da Mundos de Vida”, como forma de dotar estes concelhos de “mais recursos” que possam responder às demandas de CPCJ (Comissão de Proteção de Crianças e Jovens) e tribunais, no sentido de acolher “temporariamente crianças em perigo”.

Recorde-se que a Mundos de Vida é uma instituição que trabalha pela infância, num quadro de cooperação com a Segurança Social e com o apoio da Rede “Procuram-se Abraços” da qual a Câmara de Famalicão faz parte.