Depois da vitória categórica ao Salgueiros, na jornada inaugural, o Paradela não repetiu o feito em casa com o Pedroso e perdeu por duas bolas a zero, terminando o jogo com apenas oito atletas em campo. João Cruz acusou a arbitragem e considera que "não vão deixar o Paradela subir de divisão".

   Três expulsões e uma "chuva" de cartões. O jogo que opôs Paradela e Pedroso ficou marcado pela elevada agressividade entre os atletas, que obrigou o árbitro da partida a mostrar oito cartões amarelos e três vermelhos. Todos os jogadores expulsos são do Paradela, que não evitou a derrota, por duas bolas a zero.

O Pedroso viajou à Trofa convicto em conseguir arrecadar pontos, por isso começou logo por encostar o adversário à sua grande área.

O Paradela conseguiu sacudir a pressão inicial e Vítor concluiu o primeiro lance ofensivo da equipa, mas o remate saiu à figura do guarda-redes.

Aos 33 minutos, Queirós fez uma excelente jogada, mas o cruzamento não teve o melhor seguimento dos avançados da equipa liderada por João Cruz. Por seu lado, o Pedroso criou perigo aos 38 minutos, com um remate de Ricardo, que obrigou o homónimo, guardião do Paradela, a defesa apertada para canto.

Logo no início da etapa complementar, o Paradela beneficiou de um pontapé livre perigoso á entrada da grande área do Pedroso, mas o remate de Guimarães saiu por cima da trave. Respondeu o Pedroso com um cabeceamento de Pedro Chaves ao lado do poste esquerdo da baliza do adversário.

A partida ficou manchada com uma confusão aos 58 minutos, altura em que o árbitro admoestou Guimarães e Toni com cartão vermelho, o último directo.

Mesmo com menos dois atletas era o Paradela que criava mais oportunidades, mas a força anímica acabou por falar mais alto. Aos 74 minutos, o recém-entrado Tiago com uma excleente jogada individual conseguiu inaugurar o marcador e aos 80, já com o Paradela sem Sérgio, que também viu cartão vermelho, bisou, estabelecendo a vitória fora de portas do Pedroso.

A equipa forasteira podia ainda ter ampliado nos descontos, na sequência de uma grande penalidade, mas Carlitos falhou.

 

"Desde que existem telemóveis no futebol acredito em tudo"

A subida de divisão era mesmo um objectivo a atingir, mas "depois do que se passou neste jogo", João Cruz duvida "que deixem esta grande equipa subir por razões alheias a jogadores, treinador ou direcção". O técnico do Paradela estava muito insatisfeito com a exibição da arbitragem e mesmo convicto que "estas coisas acontecem" afirmou que  "jogar contra oito é mais fácil do que jogar contra 11".

"Desde que existem telemóveis no futebol acredito em tudo", afirmou o treinador que afirmou ainda que o Pedroso "é candidato a subir precisamente por causa destas situações", referindo-se às três expulsões a jogadores do Paradela. "Na primeira jornada fui ver o jogo do Pedroso e vi situações iguais às que se passaram aqui", acrescentou.

Depois desta derrota resta à equipa "levantar a cabeça" e continuar a "surpreender" como na jornada inaugural do campeonato, com o Salgueiros.

 

"Se o árbitro cumprisse o regulamento eles não acabavam o jogo"

Amadeu Rocha, treinador do Pedroso, considerou o Paradela "uma equipa muito violenta" e referiu mesmo que "se o árbitro cumprisse o regulamento" a equipa "não acabava o jogo". P técnico afirmou que "se Paradela continuar com esta disciplina não vai estar muito tempo neste campeonato, porque noutros campos mais pequenos vão provocar verdadeiras batalhas campais".