Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA) promoveu um seminário dedicado à exportação e à internaciona-lização, na terça-feira, 4 de no-vembro, no auditório da sede.

Exportar e internacionalizar foram as palavras de ordem da palestra promovida pela Associação Empresarial do Baixo Ave, que teve como orador José Manuel Fernandes, presidente do Grupo FREZITE, e a moderação de Rodrigo Viana de Freitas, diretor-geral da Central de Informação.
Para José Manuel Fernan-des, também presidente da AEBA, foi “muito gratificante” ter tido “o salão cheio”, asseverando que a associação espera fazer, por ano, “seis seminários temáticos”.
Baseando-se no livro que recentemente lançou – “Caminhos do Exportador – Estratégias de Internacionalização” -, José Manuel Fernandes afirmou que “as empresas que têm potencial exportador, ou que se adaptem mais facilmente, possam virar-se rapidamente para os mercados externos”, uma vez que esta é “uma necessidade absoluta”.
O empresário frisou que “tudo o que contenha atividades criativas e industriais” têm que ser viradas para o exterior, assim como os “novos projetos e startups” que estão a ser criadas pelos jovens. “Têm de aparecer programas governamentais na área do Ministério da Economia a fomentar e a ajudar os jovens a irem para o centro da Europa estagiar, irem para a Alemanha buscar estágios, irem fazer protocolos com universidades no centro da Europa e trazer conhecimento para Portugal, e aí formar as suas empresas”, enumerou.
Em vez de “programazinhos simplórios”, José Manuel Fer-nandes sublinhou que é necessário “apoiar os jovens de uma maneira muito séria”, tendo o Portugal Ventures – organismo criado pela fusão de diversas capitais de risco -, “capacidade para fazer grande viragem e grandes modificações pelo apoio a jovens projetos”. “Há muitos jovens a formarem startups, mas que precisam de ajuda. E essa ajuda tem que ser feita de uma forma eficaz, que produza componente de capital, humano, de risco financeiro para os ajudar. Claro que uma análise correta e apoiada aos projetos válidos”, concluiu.