Para conhecer, in loco, as atuais condições de funcionamento da Porta de Sabores, refeitório social da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa, o presidente da Câmara, Sérgio Humberto e alguns vereadores, acompanhados por grande parte da direção da delegação, almoçaram naquelas instalações, situadas na Feira e Mercado da Trofa.

“Além de poder comprovar que as refeições confecionadas pelas nossas voluntárias são ótimas, convidamos o executivo para que perceba as dificuldades que enfrentamos todos os dias com a procura cada vez maior, nomeadamente no problema do tamanho e adequação das instalações, assim como na insuficiência de material para fazer face aos pedidos que nos são solicitados”, afirmou a presidente da delegação, Daniela Esteves.

A intenção da Cruz Vermelha é arranjar novas instalações para a cantina social, que diariamente fornece “52 refeições”, e a “ajuda de terceiros” como a autarquia “é imperiosa”, acrescentou.

Por seu lado, Sérgio Humberto referiu que a Câmara “não pode dar apoio somente em palavra e presença”, mas também “colaborar com os projetos” das associações e, neste caso, ser um mediador no processo de procura de novas instalações para o refeitório. O presidente da Câmara considera imprescindível o envolvimento de privados, defendendo que “não pode ser tudo assacado às instituições de solidariedade social e à autarquia”. “A Trofa tem empresários e pessoas com essa sensibilidade e humanismo de ajudar”, concluiu.