Em visita ao Centro de Saúde da Trofa, em S. Martinho de Bougado, deputados do PSD anunciaram que “estão reunidas as condições” para se avançar com a construção da nova unidade de saúde, em Santiago. Concurso público internacional deve ser lançado brevemente.

“A ARSN (Associação Regional de Saúde do Norte) está a trabalhar nesse sentido, de forma a abrir um concurso a curto prazo”. Esta foi informação dada pela ARSN depois de deputados da Assembleia da República, eleitos pelo PSD pelo círculo do Porto, terem anunciado a retoma do projeto do novo Centro de Saúde de Santiago de Bougado. Em visita ao atual Centro de Saúde, em S. Martinho, na manhã de segunda-feira, Miguel Santos, acompanhado por outros deputados, por elementos da concelhia do PSD e pelo presidente da Câmara, afirmou que “estão reunidas as condições para se avançar com o novo edifício”, depois de o município ter “desbloqueado o entrave principal”, que estava relacionado com o terreno para a construção do edifício.

Recorde-se que, como o NT já havia noticiado, o projeto foi desenhado pela ARSN no terreno pertencente ao Agrupamento dos Escuteiros de Santiago de Bougado, que está ao lado da propriedade da autarquia destinada ao edifício. O presidente da Câmara, Sérgio Humberto, afirmou que o problema, “que existia desde 2012”, surgiu por “falta de diálogo entre a autarquia e a ARSN” e revelou que foi ultrapassado “no passado mês de maio” com uma “permuta”: a Câmara ficou com o terreno dos escuteiros, que por sua vez ficaram com outro da propriedade da autarquia.

Ultrapassado este imbróglio, a ARSN pode avançar com o concurso público internacional. Miguel Santos garantiu que a dona da obra “tem condições financeiras que estão garantidas pelo governo para avançar com o projeto”, mas pede “paciência” para o cumprimento das “regras procedimentais e administrativas”, que “demoram sempre alguns meses”.

O desbloqueio do processo foi “uma boa notícia” para Ana Tato, diretora do Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) Trofa/Santo Tirso, que espera que o novo edifício esteja concluído “no máximo, em 2016”.

“O presidente da Câmara tem sido incansável e era nele que poderia estar a solução de um problema que encravava a construção do novo edifício que a Trofa merece. Os utentes sentem todos os dias a dificuldade que é encontrar o local mais adequado para ser visto pelo seu médico de família, ter uma equipa de saúde organizada e que tenha salas livres para poder organizar o seu trabalho”, frisou.

Ana Tato revelou que a unidade de saúde de S. Martinho não tem condições para albergar os cerca de 24.500 utentes. Na cave “mistura-se a área preventiva com a assistência curativa” e “as crianças que vão à consulta de rotina ou à vacinação estão junto de pessoas que têm os seus problemas de saúde”, explicou.

Até para os profissionais de saúde, a tarefa de se organizar no espaço não tem sido fácil. Um dos seis médicos do Centro de Saúde, inclusive, não tem gabinete próprio e tem de revezar-se pelos que ficam vagos.

Com a construção na nova unidade em Santiago de Bougado, além de resolvidos estes problemas, será possível colocar a unidade de cuidados de saúde personalizados no piso de entrada do Centro de Saúde de S. Martinho, assim como a unidade de cuidados da comunidade, onde se engloba a Equipa de Cuidados Continuados Integrados, e a unidade de saúde pública, evitando, neste caso, que os utentes se dirijam à sede do ACES, em Santo Tirso.