Foi colocado, há cerca de 3 meses, um letreiro na porta do WC da Estação da CP na Trofa a informar todos os interessados que, por razões de segurança, têm que solicitar a chave do WC na bilheteira.

   Acontece que a bilheteira funciona apenas de segunda a sexta das 6h55 às 11h10 e das 13h10 às 15h30. Aos sábados, domingos e feriados está fechada a bilheteira e como tal também o WC está fechado.

No entanto, os comboios naquela estação circulam (com paragem) entre as 6h10 e as 23h18 de segunda a sexta. Ou seja, além de não ser possível os utentes da Estação usarem o WC ao fim de semana e feriados, também não o podem fazer durante a semana ao fim da tarde, nem na hora do almoço, nem à noite.

O estado de degradação dos serviços naquela estação é tal que no local funciona diariamente um café, cujos clientes ficam também privados do acesso ao WC fora do horário das bilheteiras.

Como se não fosse suficiente, este café "funciona" sem energia eléctrica desde Janeiro!

Sim, um café a funcionar diariamente sem energia eléctrica como nos tempos idos!

Não há café de máquina porque não há luz, a televisão não está ligada porque não há luz, quando o sol se vai embora são acesas umas velas porque não há luz, a máquina registadora não funciona porque não há luz… UMA VERGONHA.

Há cerca de dois meses, Paulo Queirós da CDU, denunciou esta situação na Assembleia Municipal, referindo até que a Estação continua a ser a primeira imagem que muitos têm do nosso concelho. Passado este tempo, a situação continua na mesma.

Já tínhamos o pior apeadeiro do norte do país (o apeadeiro Sra. das Dores). Agora temos também a Estação mais bizarra e certamente candidata ao "prémio" da Estação com piores condições.

Sei que está previsto haver alterações na linha, inclusive a estação mudará de local, mas será que isto justifica tudo? Não me parece…

Nas restantes estações do concelho, nomeadamente em Covelas (Portela) e em São Romão os problemas não são diferentes daqueles que há muito vêm sendo denunciados: falta de informação, falta de WC, sujidade e instalações desadequadas à dimensão e às características do serviço prestado.

Será desta forma que promovem o transporte público neste país?

 

 

Jaime Toga

http://jaimetoga.blogspot.com/