José Manuel Mendes Vila Nova de Famalicão vai prestar homenagem ao poeta e escritor José Manuel Mendes, numa cerimónia repleta de simbolismo que vai decorrer no próximo dia 4 de Dezembro, pelas 21h30, no auditório da Casa de Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide.
  Presidente da Associação Portuguesa de Escritores (APE) desde 1992, José Manuel Mendes colabora com o Município de Famalicão na atribuição do Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, em que todos os anos um escritor português ou lusófono é distinguido com o galardão. Porém, a sua colaboração com Famalicão vai muito para além desta iniciativa anual. Sempre disponível, José Manuel Mendes integrou vários júris de Prémios Literários, promovidos pela Câmara Municipal, organizou a antologia “Famalicão, 14 olhares”, participou em numerosos recitais de poesia e apresentou livros, tanto no Centro de Estudos Camilianos, como na Biblioteca Camilo Castelo Branco. O reconhecimento deste seu trabalho levou já a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão a atribuir-lhe a medalha de “Mérito Cultural”.
Neste âmbito, aproveitando a celebração do seu 60.º aniversário, a autarquia decidiu “prestar um tributo público ao intelectual e ao cidadão distinto e empenhado na transformação e desenvolvimento sócio-cultural do seu país, José Manuel Mendes”, como afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa.
O programa da homenagem prevê a realização do concerto “Estuário”, com 10 poemas da sua autoria, musicados pelo compositor Fernando Lapa, os quais serão cantados pela soprano Paula Dória, acompanhada ao piano por Elsa Marques Silva. Trata-se duma estreia absoluta da música do consagrado compositor português, Fernando Lapa, amigo do poeta. Este, por seu turno, fará na primeira parte do programa um recital de poesia dos seus poemas preferidos.
José Manuel Mendes é um poeta e romancista consagrado, tendo publicado “Salgema”, o seu primeiro livro de poemas em 1969. Desde então, publicou mais de duas dezenas e meia de títulos, os quais obtiveram alguns prémios, como o Grande Prémio de Literatura ITF/95. Destaque para “Esperança Agredida”, “Ombro Arma”, “Depois do olhar” e “Presságios do Sul”.
Mas, o seu labor intelectual estende-se a outros domínios, designadamente, à discografia, onde revela apreciáveis dotes de “diseur”, à crónica e à crítica literária, que faz regularmente nos jornais e na televisão. Tem alguns dos seus livros traduzidos em línguas estrangeiras, e está seleccionado em numerosas Antologias. Foi deputado à Assembleia da República, eleito pelo PCP, membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social e presidente do Conselho de Opinião da RDP.
Professor de Deontologia da Comunicação na Universidade do Minho, preside desde 1992 à APE, onde conseguiu imprimir uma marca própria, de forte dinâmica voltada para o exterior. Entre outros prémios, José Manuel Mendes foi distinguido com o Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique por outorga do Presidente Jorge Sampaio, 2006, Grande Oficial da Ordem do Mérito, condecoração concedida pelo Presidente Mário Soares, 1995, Commandeur du Ouissam Alaoui, pelo Rei de Marrocos, 1990, Medalha de Mérito Cultural, atribuída pelo Ministro Pedro Roseta, 2004 e Medalha de Mérito Municipal de Vila Nova de Famalicão.