Caros(as) Leitores(as) do “Notícias da Trofa”, começo hoje a minha colaboração com este jornal, apresentando crónicas quinzenais, ou mensais, dependendo da inspiração (e da vontade!), num espaço intitulado, “Escrita com Norte”.

Daqui a quinze dias apresentar-vos-ei o primeiro texto. Hoje deixo-vos o texto “0”, onde me apresento, tendo que recuar várias décadas atrás, quando ainda não existia!

E tudo começou numa noite de lua de mel, em Viana do Castelo, entre os jovens Augusto e Tininha, no ano de 1973. Nove meses…e dois dias depois ( a vizinhança estava curiosa e a fazer contas), nasci, nesse mesmo ano!
Vivi até aos dois dias em Famalicão (no hospital), tendo depois regressado à Trofa onde passei a viver com os meus pais. Com quase três anos passo a viver com mais um indivíduo…o meu irmão!

Enquanto criança, o meu dia preferido era o sábado, em que via, à tarde, “A conquista do Everest” e de seguida, “Cosmos”, de Carl Sagan, enquanto comia torradas…eu e o meu irmão chegávamos a comer 8…cada um! Sem grande surpresa, aos 10 anos, o meu maior receio era cair…rebolava, parando só quando aparecia um obstáculo!

Pouco tempo depois descobri uma apetência natural para o desporto, quando fiquei em terceiro lugar numa prova de atletismo…apesar de sermos apenas três participantes o que está registado na minha memória é o lugar no pódio!

A adolescência foi normalíssima…jogar futebol, miúdas e estudar. Se coincidia um joguinho de bola com um convite de uma menina para sair, a decisão era óbvia…jogar futebol!

Conheci uma menina chamada Cristina, aos 23 anos, e casei com ela aos 25, em 1999…pouco tempo antes comecei a trabalhar na Continental Mabor. Voltei a casar com ela em 2009! Casar a segunda vez, e com a mesma mulher, garantiu-me um lugar no céu!

Em 2010 aconteceu uma das melhores coisas da minha vida, nasceu o meu sobrinho Gonçalo, mais um Leão, tal como o pai e o tio. Esta dinastia de Leões começou com o jovem Augusto, que apesar de pertencer a uma família numerosa (9 pessoas) da Trofa e todas adeptas do FCP, saiu sportinguista!

O “jovem Augusto” é o meu pai e pregou-me uma injeção de sportinguismo à nascença e outra ao meu irmão, apesar de ele aos 6 anos se ter vendido por um corneto e mudado para o FCP, doença que durou até aos 12…mas foi mais vezes campeão nesses 6 anos de adepto do FCP, do que em 37 anos como Leão!

Hoje, Augusto, com 74 anos desculpa-se com os “cinco violinos” e a delícia que era ver a equipa jogar, afinada como uma orquestra…e um pormenor de classe, ganhava!

Todas estas histórias me soam estranhas e a custo aceito que falamos da mesma equipa…! Para compreender o meu pai, por vezes, às escondidas, vejo “O leão da Estrela”, único sítio onde vejo o Sporting a ganhar ao FCP e me dá motivação para dar ao meu sobrinho, agora com 9 anos, mais um cachecol ou outro leão e juntos repetimos, “SPORTING!”…pergunto-me, “Será que estou a ser um bom tio?!”

Quanto ao resto…tudo normal… continuo casado com a Cristina (já me avisaram que se houver terceiro casamento não me dão prenda) e a trabalhar na Continental Mabor e continuo à espera que o Sporting seja campeão…graças a esta esperança estou a ser acompanhado por um médico psiquiatra!