Decorreram no sábado as primeiras Jornadas EFA da Escola Secundária da Trofa, subordinadas ao tema “Partilha de Práticas”. Mediadores, formadores e formandos participaram na iniciativa.

Partilhar práticas é o objectivo da Escola Secundária da Trofa que organizou as primeiras Jornadas EFA (Educação e Formação de Adultos). Palestras e debates sobre os bons exemplos de práticas deste tipo de ensino envolveram formadores, formandos e mediadores que dedicaram a manhã a discutir a metodologia de ensino nos cursos EFA e os sucessos na aprendizagem.

Paula Duarte tem 44 anos e completou o 9º ano na EB 2/3 de São Romão do Coronado através dos Cursos EFA e é assim que continua.

Agora caminha para conseguir o 12º ano de escolaridade na Escola Secundária da Trofa. Apesar da dificuldade que enfrenta para conseguir frequentar as aulas todos os dias, Paula Duarte faz um esforço adicional pela sua educação: “Trabalho com o meu marido, somos vendedores e é um bocadinho complicado, porque às vezes vamos para longe e tenho dias que não consigo mesmo vir às aulas, por exemplo quando vou para Lisboa”. No entanto os “trabalhinhos estão sempre em ordem”, confessou a vendedora que começou a aprender a teclar nos computadores. “Costumo dizer à minha filha, eu ainda vou ser doutora”, contou a sorrir.

Já Paulo Gomes, com 38 anos, quer apenas concluir o 12º ano. É motorista nos Bombeiros Voluntários da Trofa e foi através dos cursos EFA que conseguiu o 9º ano, agora decidiu seguir em frente, porque “aprender não custa nada”, confessou em entrevista ao NT. “Há alguns cursos que me estão a indicar, mas como não tenho o 12º ano, não posso tirá-los. Agora com o 12º ano, posso frequentar alguns cursos”, acrescentou.

São estes os exemplos que fazem com que na Escola Secundária continue a ministrar os cursos EFA. “O nosso projecto educativo tem como princípios a educação para os valores, a criação de uma cidadania responsável, activa, dinâmica, participante e não poderíamos de modo algum ficar indiferentes àqueles jovens, que, co0m mais de 18 anos, não tiveram em tempo útil, oportunidade de estudar e adquirir conhecimentos”, garantiu José Antunes, director da Escola Secundária da Trofa, que também participou nas jornadas.

Esta iniciativa foi para formadores e formandos “o culminar de um trabalho que decorreu ao longo do ano lectivo” que Teresa Fernandes, vereadora da Educação da Câmara Municipal da Trofa, considera “estremamente importante”. “É de louvar estas pessoas que não contentes com as suas habilitações e com a sua qualificação, disponibilizam o seu tempo, e eu compreendo que numa idade adulta já não estejam tão propícios a aprender, para ingressar nestes cursos de modo a que a sua vida profissional, social e até pessoal, melhore”, comentou a vereadora.

Na Escola Secundária da Trofa existem cinco turmas nos cursos de Educação e Formação de Adultos.