Salas vandalizadas, vasos e vidros partidos e computadores furtados foi o balanço de um assalto, na madrugada de quarta-feira, na Escola EB2/3 de S. Romão do Coronado, no concelho da Trofa. Os prejuízos ainda não estão calculados e o NIC da GNR de Santo Tirso está a investigar.

   O núcleo de Investigação Criminal da GNR de Santo Tirso está a investigar o assalto na escola EB2/3 de S. Romão do Coronado de onde na madrugada de quarta-feira, cerca das 5,30 horas foram furtados três computadores e a cassete de videovigilância.

Os assaltantes terão partido um vidro de uma das portas com uma pedra para entrar e terão fugido pela porta do refeitório, deixando para trás um rasto de destruição no piso inferior da escola.

Segundo o presidente do conselho executivo da escola, José Magalhães, a cantina também foi afectada pelo assalto que ocorreu esta madrugada e o NIC quer recolher, ali, eventuais provas.

O móbil do crime, e de acordo com José Magalhães, poderá ser " o furto de computadores portáteis que recebemos ao abrigo do programa do Ministério da Educação. Não levaram todos porque a maior parte deles são utilizados nas aulas e no final são colocados numa arrecadação com porta blindada. Assim levaram apenas três computadores que são utilizados no Centro de Recursos" assegurou.

O presidente acredita que o objectivo dos assaltantes era precisamente levar os portáteis da escola, uma vez que "os computadores de secretaria não foram furtados nem vandalizados".

"A escola será encerrada e apenas reabrirá portas quinta-feira de manhã", disse o responsável.

Neste assalto, disse José Magalhães, as instalações ficaram muito destruídas "temos portas e muitas janelas partidas", salientou, acrescentando que "quase todos os gabinetes do piso inferior da escola foram vandalizados e virados "do avesso".

Papeis pelo chão, gavetas abertas, vasos partidos e terra pelo chão era o cenário desolador encontrado na Escola.

Os prejuízos ainda não estão calculados já que "a polícia técnica tem algumas zonas isoladas para a recolha de provas e por essa razão ainda não foi possível quantificar em dinheiro os estragos".

No local estiveram a GNR da Trofa e elementos do NIC para tentar descobrir o autor ou autores deste assalto.