Os Bombeiros da Trofa dispõem desde o início deste mês de um reforço no corpo activo. São cinco os elementos que constituem a Equipa de Intervenção Permanente (EIP) e que, em regime laboral, vem assegurar a actuação no combate a incêndios, inundações, salvamento e resgate.

A trabalhar desde 1 de Outubro no quartel dos Bombeiros Voluntários da Trofa, a EIP vem assegurar “uma maior eficácia em matéria de intervenção e socorro”, conforme explicou ao NT/TrofaTv João Goulart, comandante da corporação. A intenção do Governo em incrementar a operacionalidade nas corporações foi posta em prática e de um protocolo assinado entre a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa, a Câmara Municipal da Trofa e a Autoridade Nacional da Protecção Civil resultou a constituição de uma equipa de cinco elementos que, em permanência, vem assegurar o socorro à população.

De acordo com João Goulart, a intervenção destes homens será ao nível do “combate a incêndios, inundações, socorro em matéria de salvamento, desencarceramento e resgate”, entre outras. “O que esta equipa pode ainda fazer é uma intervenção secundária nos acidentes rodoviários, mas não faz emergência médica”, explicou o comandante, uma vez que esta “continua a ser garantida pelos restantes elementos da corporação no âmbito daquilo que está definido nos termos da lei”.

bombeiros-equipa-1

Os elementos da Equipa de Intervenção Permanente asseguram a intervenção em regime laboral e, segundo João Goulart, “os bombeiros voluntários continuam a garantir o socorro à população na mesma qualidade e na mesma proporção”, sendo garantido que a nova equipa especializada assegura “um maior estado de prontidão” e exclusividade para intervir em determinado tipo de ocorrências.

Recrutados com contrato a termo com a duração de três ano e avaliados de ano a ano, os elementos da EIP são sujeitos a formação especializada, sendo chamados gradualmente pela Escola Nacional de Bombeiros. Acreditando que a nova equipa constitui “um caminho sem retorno para o aumento da eficácia operacional”, João Goulart realçou que a Associação não descura a formação dos restantes elementos. “Procuramos ter uma preocupação atenta para a formação, mas também para a instrução destes homens, para valorizar os nossos recursos e estes bombeiros, porque cada vez mais a actuação deles requer conhecimento e domínio de técnicas para prestar o socorro à população”, sustentou.

 

Bombeiros apostam na formação

 

No âmbito das Novas Oportunidades, são muitos os bombeiros da Trofa que já concluíram esta formação, obtendo assim a equivalência ao 12º ano e que, de acordo com João Goulart, lhes permite proporem-se para a formação de tripulantes de ambulâncias de socorro. O comandante realçou ainda o interesse demonstrado pela juventude em fazer parte da corporação. “Felizmente estamos a assistir nestes últimos tempos a uma adesão por parte de alguns jovens que de facto querem identificar-se com a missão nobre e altruísta de ser bombeiro”, adiantou. Para João Goulart o “trabalho realizado começa a produzir efeitos” e neste sentido o “corpo de bombeiros acaba por ser uma referência para os jovens”.

Se 2009, que registou inúmeros fogos florestais, foi um ano de “aprendizagem e amadurecimento”, já 2010 será “aliciante” pelos vários desafios colocados. “Queremos em 2010 aplicar algumas mudanças na forma de estar e actuar”, adiantou o comandante, defendendo ainda uma maior “aproximação da população para um melhor esclarecimento da legislação” inerente às corporações de bombeiros.

Equipamentos precisam-se

Lembrando que na corporação da Trofa “o socorro nunca foi posto em causa por falta de equipamento”, João Goulart reconhece a necessidade do investimento em novos equipamentos. “A começar pelos veículos, que estão a ficar envelhecidos, deteriorados, e principalmente este ano este desgaste agudizou-se, mas também precisamos de outros equipamentos e de outros instrumentos, nomeadamente de consumo corrente”, avançou.

Recorde-se que para reforçar os recursos materiais, a Câmara Municipal, no âmbito da comemoração do 33º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa, ofereceu 25 rádios portáteis aos homens da corporação da Trofa. Na passada semana os bombeiros trofenses receberam ainda um computador que com os dispositivos de localização irá permitir de forma eficaz controlar os veículos no teatro de operações.