quant
Fique ligado

Edição 440

Entrevista a Vítor Rocha, candidato pelo PS à União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões

Publicado

em

“A responsabilidade é o que de melhor posso oferecer”

Manter os serviços de atendimento abertos nas duas freguesias, concluir o Lar e Centro de Dia de Alvarelhos e implementar um Programa de Apoio às Famílias são alguns dos projetos de Vítor Rocha, caso seja eleito para a União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões. 

O Notícias da Trofa (NT): O que o leva a candidatar-se à Assembleia de Freguesia de Alvarelhos e Guidões?

Vítor Rocha (VR): Sinto orgulho pelo bom relacionamento que tenho com todas as pessoas das freguesias de Alvarelhos e Guidões e por isso entendo que tenho condições para estar à frente dos destinos destas populações, para desenvolver um trabalho sério, quer a nível de estruturas, quer a nível social. Foi de facto a afetividade, a preocupação e as ligações que tenho com toda esta gente que me levaram a esta candidatura. Candidato-me encabeçando uma equipa com experiência, dinamismo, reivindicativa e motivada. Assumirei como sempre o fiz, ao longo da minha vida, uma postura responsável, séria e empenhada. Considero ter capacidade e determinação para assumir uma gestão rigorosa e eficaz das nossas freguesias, essencial nos dias difíceis que vivemos, prosseguindo no caminho do desenvolvimento fazendo com que Alvarelhos e Guidões estejam na linha da frente, comparando sempre com as melhores.

 

NT: Quais são os projetos que vai apresentar para o mandato?

VR: Quando temos objetivos há sempre muito a fazer, há sempre imensos projetos para realizar e a minha ambição é enorme. Se muito foi feito, muito há ainda a fazer. Os projetos estão definidos no nosso manifesto eleitoral, dele posso destacar alguns exemplos: a implementação de um eficaz Programa de Apoio às Famílias, nas áreas da ação social, ambiente, mobilidade, cultura e segurança. Tudo com competência e sustentabilidade. Vamo-nos empenhar na conclusão do Lar e Centro de Dia; no arranjo urbanístico do terreno da Urbanização de Vilar e dos Casais; tornar o largo da Igreja de Alvarelhos apenas pedonal, salvaguardando apenas situações que o justifiquem; divulgar mais o nosso património; apoiar sem impor o associativismo, reforçando a atividade das coletividades desportivas e culturais; tratar e aumentar os espaços verdes; o trânsito, a saúde pública, a educação o desporto e o lazer, são aspetos do quotidiano em que haverá sempre que intervir. Concluir o abastecimento de água e saneamento em todos os lugares.

Publicidade

NT: Qual o projeto/área prioritário(a) caso seja eleito?

VR: Uma área prioritária é manter os serviços de atendimento abertos nas duas freguesias, podendo desta forma estar mais perto das pessoas, para apoiar sobretudo aquelas que mais precisam dos nossos serviços. O nosso empenho vai também no sentido de concluir o Lar e Centro de Dia. Manter as freguesias sempre asseadas e preservar o que hoje lhes confere um valor cheio de futuro: a sua história, a pequena dimensão, a escala humana, a liberdade e o ar puro que se respira.

NT: Considera importante que a câmara e Junta de Freguesias sejam governadas pelo mesmo partido político? Porquê?

VR: Considero muito importante, todos trabalharem com a mesma alma e estou certo que trabalhar com a mesma alma é trabalhar para o desenvolvimento. Quando os partidos na Câmara e na Junta de Freguesia trabalham com sentidos de orientação diferentes, o desenvolvimento pode ser mais moroso. Mas tudo se tem de transformar numa grande equipa passadas as eleições. Estarei pronto para encontrar sempre com responsabilidade as melhores soluções para Alvarelhos e Guidões e de uma forma equilibrada.

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 440

Festival de Concertinas atraiu multidão a Santa Eufémia

Publicado

em

Por

 

A Trofa foi na tarde de sábado, 21 de setembro, a capital das Concertinas e dos Cantares ao Desafio.

Atraídas pela música de improviso acompanhada pelas concertinas, muitas pessoas deslocaram-se ao Monte de Santa Eufémia, em Alvarelhos, para assistirem ao 14º Encontro de Tocadores de Concertina e Cantares ao Desafio.

“Centenas de tocadores e cantadores”, segundo dados da organização, animaram a tradicional festa de Santa Eufémia, onde acorreram muitos apaixonados por esta cultura popular. O público presente não resistiu às músicas e aos cantares e deu um pezinho de dança.

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal da Trofa, que continua a procurar “preservar as tradições e os costumes”, através destas “festas tradicionais e populares”.

O vereador do pelouro da Cultura, Assis Serra Neves, afirmou que os cantares de desafio e o festival são, “tal como o fado, uma cultura muito própria, neste caso, no Norte do país e, mais concretamente, do concelho da Trofa”. “À semelhança de outros anos, correu muito bem. Uma concentração muito especial, porque é muito vocacionada para este tipo de atividades e espero que o futuro executivo mantenha esta atividade, porque é uma bandeira do nosso concelho”, referiu.

Recorde-se que a tradição dos cantares ao desafio é comum a várias regiões e países do mundo. No século XX, no Norte Litoral português, este modo musical e poético de improvisação, começou a ser acompanhado com concertinas, tornando-se um ícone da musicalidade tradicional da região.

Publicidade
Continuar a ler...

Edição 440

Dojo Murakami do Muro recebeu encontro de karaté

Publicado

em

Por

 

“O encontro correu como se esperava, foi perfeito.” Este foi o balanço do mestre Arlindo Ferreira relativamente ao encontro de karaté que o Dojo Murakami da Associação Recreativa Juventude do Muro (ARJM) dinamizou durante a tarde de sábado, 21 de setembro.

Além de ter estado “praticamente” todos os alunos do Dojo da ARJM e da Póvoa de Varzim, também participaram os seus familiares, que “elogiaram” o trabalho desenvolvido pela coletividade e solicitaram a abertura de novos dojos (equivale a salas de treino) noutros locais. Arlindo Ferreira declarou que esse terá que ser um assunto “bem pensado”, mas que se aceitarem, as pessoas podem continuar a “depositar-lhes total confiança” para poderem “deixar os filhos”. “Já habituamos as pessoas a confiar, porque não desistimos. Exemplo disso é o Dojo da ARJM, que é o mais antigo do norte da Associação Shotokai de Portugal, que chegou a ter um grupo pequeno, mas não os abandonamos e valeu, porque felizmente estamos a crescer”, frisou.

O Dojo da ARJM recebe aulas de karaté-do Shotokai às, segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 19 e as 21 horas, e aos sábados no Dojo da Póvoa de Varzim. Para mais informações ou até para se inscrever, pode fazê-lo nos dojos ou através do email (senseiferreira@sapo.pt) ou do telemóvel (911 102 689) do mestre Arlindo Ferreira.  

 

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também